Mais depressa se apanha um mentiroso que um coxo

Esta fotografia (que está no 31 da Armada) seria uma fotografia gira, se não fosse uma montagem.

15152921_ZZwz0

É que ontem foi dia mundial de fotografar a lua, também brinquei mas a minha foto não é para aqui chamada, foi para quem não podia estar a ver a lua comigo, Coimbra & amores, e também brincou o Paulo Abrantes, que fez esta sequência:

Brincar ao postalinho falso é batota, e utilizando uma imagem velha da alcáçova universitária (a sua iluminação já não é, e ainda bem, esta), é foleirada.

Correcção:

Esclarecido através de um amigo comum o local onde a fotografia foi tirada, resta-me pedir publicamente desculpa ao visado: a imagem é autêntica, é tudo uma questão de ângulo.

No olho do furacão

Documento de fotógrafo, Michel de Souza filmou-se enquanto fotografava uma manifestação no Brazil.

Excelente ideia, óptimo resultado.

 

Abraçados Contra a Morte

O Abraço dos ExploradosEis uma imagem que grita, desenterrada dos escombros da mais recente tragédia do Bangladesh. Pensemos na exploração desenfreada que lhe subjaz. Pensemos o quanto aquelas mortes são nossas, se é que integramos a Humanidade.

Coimbra-B

coimbra-b-parte

Parte de um mural na estação Coimbra-B da CP (ver tudo)

Factura

factura

Baixa lisboeta, ontem. Pedir factura, mas isso já não existe. Dizem.

Boa

miss-benficafotografia é no concurso Miss Benfica.

 

Mau tempo em Portugal

tempestade coimbraPonto da situação em Coimbra:  a pátria segura-se, em Coimbra uma bandeira resiste, a Europa foi a primeira a virar-se ao contrário.

Esta tempestade adverte que o uso do governo vai causar ainda mais prejuízos.

Fotografado com o alto patrocínio do pessoal do Café Montanha, gosto muito de vento mas com tanta água na cara já não vejo nada.

120 psi | ciclismo urbano em alta pressão

FestaCicloficina301112011_53Pedro Portela

A explosão do ciclismo urbano ou utilização da bicicleta é uma realidade nova em Lisboa e em Portugal, de uma maneira geral. Demonstra uma diferente consciência em muitas vertentes da vida social.
Associada ao ciclismo urbano, encontra-se uma subcultura cheia de interesse.
Sem nos submetermos aos espartilhos das ciências sociais, esta exposição pretende lançar um olhar sobre as expressões associadas à bicicleta no meio urbano: os eventos que os adeptos da bicicleta se reúnem para organizar e participar, como as corridas alley cat e as oficinas comunitárias; a promoção da bicicleta na cidade e a luta por um lugar no espaço público; e os novos negócios que vão nascendo na paisagem urbana das nossas cidades à volta da realidade ciclável.
Estas imagens foram recolhidas durante o “Track Day” (encontro de ciclismo de pista, com bicicletas fixed gear) realizado no velódromo da Malveira e a “Festa da Cicloficina” (oficina comunitária semanal no Regueirão dos Anjos, em Lisboa), ambos em Novembro de 2011 e na Massa Crítica (encontro e passeio mensal de ciclistas urbanos de Lisboa) de Outubro de 2012.
(Em exposição na estação de Lisboa Santa Apolónia até final do ano)

“Pretendemos recrutar Fotógrafo Amador”

“Perfil

– Experiência razoável em fotografia;
– Possuir equipamento fotográfico digital, com a possibilidade de inserção de cartão de memória (a ser fornecido);
– Boa Apresentação e Simpatia;
– Dinâmico;
– Bom relacionamento interpessoal;
– Disponibilidade total para o dia do evento, bem como possuir meio de deslocação próprio, para acompanhar a empresa nas diversas actividades (+/- 5km de distância entre as actividades);”

ps: tenho uma máquina destas. Como sou “amador”, dá para a inserção de cartão de memória”?

Salvo por uma paixão

Morreu o «fotógrafo de Auschwitz», Wilhelm Brasse (1917-2012), o antigo prisioneiro que foi obrigado a fotografar os milhares de novos prisioneiros que chegavam àquele campo de concentração.

O polaco cedo se apaixonou pelos segredos da fotografia, “sem nunca imaginar que este seria o seu passaporte de sobrevivência no campo de extermínio nazi”: um certo dia, corria o ano de 1941, o comandante do campo incumbiu-o de fotografar os prisioneiros, já que ele era o único fotógrafo profissional da unidade. Os alemães precisaram dele e isso permitiu-lhe sobreviver!

O Museu Auschwitz-Birkenau conta com mais de 39 mil fotografias de Brasse…

Fotógrafos portugueses

André Boto (Facebook; site). [Aceitam-se sugestões]

A história de uma fotografia


Ou melhor, de um abraço, fotografias ficaram muitas.

15 de Setembro, o abraço

manifestante abraça policia 15 09 2012

por Pedro Bacelar Cerqueira. 15 de Setembro de 2012.

roubada onde tudo começou

Vamos todos fotografar

A Maria João Nogueira criou um blogue só para publicar fotografias das manifestações de15 de Setembro.

Basta tirar a foto, enviar para o endereço fotosdamanif@gmail.com ou para o endereço fotosdamanif@sapo.pt (é indiferente, chegam cá de qualquer forma). No subject, indiquem a localização (Lisboa, Porto, Coimbra, etc….), e, já agora, assinem, para que as vossas fotos fiquem creditadas.

Espero contribuir. Mas infelizmente como grande angular só vou ter uma objectiva de 28mm. Não me parece que chegue.

Se a fotografia estiver desfocada fica preso

Um advogado foi detido por fotografar o carro mal estacionado de Aguiar Branco.

Dia Mundial da Fotografia

A primeira foto! Da janela do francês Joseph-Nicéphore Niepce, surge a primeira “fotografia” do mundo. 1826.

Os 12 na Estrada


O retrato social
, político e económico de um dos mais difíceis anos do pós-25 de Abril é a proposta de um grupo de fotógrafos portugueses, que se encontra a percorrer todo o país, incluindo ilhas, para registar em imagens o ano de 2012. O projeto leva o nome de ’12.12.12’ e reúne duas gerações de profissionais da área do jornalismo e documental, que se propõem a fazer a sua própria leitura da crise portuguesa.
Adriana Morais, Adriano Miranda, Duarte Sá, José António Rodrigues, José Carlos Carvalho, José Manuel Ribeiro, Lara Jacinto, Nuno Fox, Nuno Veiga, Ricardo Meireles, Rodrigo Cabrita e Vasco Célio, todos profissionais da imprensa nacional e internacional, juntaram-se para documentar o ano de 2012 num projeto sem paralelo no nosso país.

No final do ano, as imagens recolhidas e selecionadas serão objeto da interpretação de várias individualidades da sociedade portuguesa, que aceitaram associar-se a este projeto, compondo uma narrativa para o trabalho de cada um dos fotógrafos. [Read more…]

Da janela do meu quarto

À espera

Exposição de Fotografia “Entre Espaços” de Pedro Noel da Luz

Entre Espaços”
Da terra, do mar, do céu.
Sobre prateadas superfícies
No corpo expandido
Dentro das ruínas do abandono
No caminho para outro tempo
Nas texturas de uma língua
a comunicação de espaços
que não chegam a ser,
nem este nem aquele,
quando a composição fotográfica se contém
e, ambivalente, se detém
sobre as possibilidades
dos liames entre mundos.
Neusa Dias
Maio 2012

Telhados do Porto I

RIP Horst Faas

Militar sul-vietnamita espanca camponês.

Mogadouro

Planalto Transmontano

8 de maio de 1945: a guerra acabou na Europa

Escolho esta fotografia de Yevgeny Khaldei, intitulada O Hastear da Bandeira Soviética nos Telhados do Reichstag para ilustrar o dia por várias razões. A sua beleza plástica é indiscutível, não tenho pachora para o mito cinematográfico de ocultar que a guerra se decidiu a leste e a sua batalha decisiva foi a de Kursk e também porque demonstra como antes antes do photoshop já se retocavam imagens.

Esta é a versão original. Após o corte publico a retocada. Descubra as diferenças… [Read more…]

Ferroviários em Greve

Instantâneo de Joshua Benoliel, 1911.

Primavera II

Primavera

LA SALETE

TETRÁPODES

“Queremos o futuro”

Pedro Noel da Luz©