Futebol é outra coisa

bolaPenso que nunca escrevi sobre futebol, mas já tenho escrito, várias vezes, sobre a futebolândia e sobre o futebolês. Mesmo sabendo que se trata de um negócio, com todas as sarjetas que isso implica, e mesmo torcendo pelo meu clube, não há milagres: quem joga melhor ganha mais vezes e quem joga melhor mais vezes ganha campeonatos.

Este ano, duas equipas jogaram o suficiente para serem campeãs. Uma delas foi um centímetro mais consistente e mereceu o primeiro lugar. Viva o Futebol Clube do Porto!

Entretanto, para lá do futebol, são raros os que conseguem manter a grandeza ou o desportivismo . Há muitos candidatos à descida de divisão. Embora ficasse melhor a Jorge Jesus dar os parabéns ao campeão, a verdade é que Vítor Pereira, sempre que esteve atrás do Benfica, teve declarações infelizes, pelo que estão bem um para o outro. Foi assim o ano passado e voltará a ser para o ano, bastando trocar nomes e cores.

O adepto futebolês, tal como qualquer treinador, jogador ou dirigente, é diferente dessa raridade que é o amante do futebol. Os primeiros são meros coleccionadores de casos de arbitragem e, no fundo, detestam desporto, especialmente o futebol. Não deixam de ser, evidentemente, exemplares que têm tanto de cómico como de assustador, conforme as circunstâncias. [Read more…]

Fraquinho, fraquinho, fraquinho

Pois, “fraquinho, fraquinho, fraquinho“, como “sujinho, sujinho, sujinho” ou “limpinho, limpinho“. Exactamente.

Campeonato de futebol

porto benfica

Vítor Pereira e Jorge Jesus. Fotografia: Paulo Esteves/ASF. DR.

O estratega e o folclore

«não é com folclore que me distraem» (VP, 2/5/2013); «tudo não passou de uma estratégia e o resultado do Estoril deu-me razão» (VP, 10/5/2013)

F.C. Porto – Benfica, jogo de alta tecnologia.

Sábado no Dragão. Futebol de alta tecnologia. Jesus mudará o ‘chip’. Vítor Pereira usará o ‘Simplex’. O árbitro o ‘Magalhães’. País avançado, o nosso.

Vítor Pereira

Se fosse um homenzinho, assumia o falhanço. Que nem sequer lhe pertence por inteiro. Sem desculpas. E dava os parabéns ao Benfica pela campanha europeia.

Pedro Emanuel despedido

O teu sonho está mais próximo, JJC.

Paciência, Domingo(s) há mais…

Está na hora de agradecer a Vítor Pereira pelos meses que passou no FC do Porto.

Pânico de Vitor Pereira com o PS

Está em pulgas a curva azul dos Super – o António Costa vem aí e o Vitor Pereira atira-se aos critérios discutíveis dos homens do apito. Percebo o pânico – perder o poder é sempre uma coisa complicada e ter um adversário mais forte é sempre pior do que ter um mais fraco. Eu entendo o PSD e entendo que os apoiantes do actual governo queiram que o Braga jogue na máxima força contra o Sport Lisboa e Benfica. É natural que assim seja.

Se António Costa deixar a Capital, abre a porta a Seara, um benfiquista na capital, mas corre o risco de se tornar o próximo primeiro-ministro de Portugal. E isso incomoda o PSD.

E se calhar também incomoda Vitor Pereira que, pelos vistos, também foi ao mercado hoje. Só não sei se ao do Jardim do Marquês ou ao de S. Lázaro – tenho que ver, mais logo, a mesa da sueca.

Já sei, foi ao Castelo do Queijo – era lá que o Liedson andava a jogar ao sobe e desce, creio que com o Sokota e o Pizzi.

Pinto da Costa critica Vítor Pereira

 “Há duas expulsões claríssimas, que só não vê quem não quer” (Vítor Pereira)

“Falar de arbitragens é ridículo e estúpido” (Pinto da Costa)

Sorte de Campeão


Acordei ainda feliz com a vitória do Porto em Braga, eu que há muito deixei de vibrar como dantes com o futebol.
O Porto entrou muito bem e podia ter marcado logo nos primeiros minutos, mas depois adormeceu. Não foi um grande jogo, o Porto não jogou especialmente bem, mas valeu a atitude de campeão. É nestes jogos que se ganham campeonatos. E sim, uma pontinha de sorte também é necessária.
O segredo está em acreditar até ao último minuto, mesmo quando tudo parece perdido. Aquele golo do James, que me fez levantar do sofá, é a prova disso mesmo. Hoje em dia, o Braga é o terceiro grande do futebol português – e ganhar em casa de um grande é derrotar um adversário directo na luta pelo título.
Mais uma vez, Vítor Pereira sai-se bem nos grandes jogos. E mais uma vez, tira um médio e mete um avançado quase no fim. É um sinal para o interior do campo, é a prova de que quer ganhar. Temos treinador. Só não vê quem não quer.

Vítor Pereira acredita em Jesus

Vítor Pereira: “Hei-de dar a este clube muitos mais títulos”

Porto-Benfica: sempre o árbitro

É mais fácil adivinhar os comentários de um treinador do que prever o tempo que vai fazer daqui a meia hora: basta que as coisas corram mal e o árbitro será sempre responsável. O treinador do Futebol Clube do Porto, evitando qualquer originalidade, deixou escapar a ideia número 23 do catálogo das vulgaridades futebolesas e que se pode resumir mais ou menos assim: “Não empatámos por causa da arbitragem, mas houve um erro do árbitro que nos prejudicou”. Na primeira parte da afirmação, deixa escapar uma ilusão de desportivismo, para, logo a seguir, culpar o bode respiratório do costume.

Deixem-me explicar como vai ser o campeonato: os árbitros vão errar e, no fim, vai ganhar a equipa mais regular, que, normalmente, é o Porto. Mais: todas as outras equipas, especialmente a que ficar em segundo lugar, vão afirmar que o campeão foi levado ao colo. Lá para Junho, ainda me vão dizer que sou o novo Zandinga.

Ao pessoal do esselebê que anda muito excitado nas últimas 24 horas

Eu compreendo: quem ganha campeonatos nos túneis e os perde humilhado em campo está condenado à excitaçãozinha. Vender um treinador por 15 milhões, além do contributo para a balança de exportações, não está ao alcance de qualquer um.

Já agora, porque será que o Jesus não tem mercado (e bem precisais, mas no vosso caso não é pelo dinheiro)?

É pena que este ano não nos encontremos já na Supertaça. E é significativo que quem há um ano gozava com a escolha de André Villas-Boas para treinador do FC Porto (numa coisa tinham razão, só se aguentou um ano), tente agora curar a azia permanente desta forma. O André que se divirta na Pérfida Albion, espero que ganhe pelo menos uma taça. O Vítor Pereira já conhece a casa, sabe o que tem a fazer, espero que tenha uma boa cláusula de rescisão no contrato. Para o ano vai ser precisa.

Actualização: Já se sabe quanto vai um clube qualquer pagar para o ano pelo Vítor Pereira – 18 milhões. Acho pouco. 2o milhões sempre era um número mais redondo.

Vítor Pereira é o treinador do Porto

Desta vez é oficial, acabaram-se as conjecturas. Vítor Pereira, ex-adjunto de Villas Boas, vai sentar-se na abandonada cadeira de sonho do FCP e ser o novo treinador dos portistas. Veja-se a alegria de Pinto da Costa, aquele senhor com ar de personagem de certos filmes do Coppola, no meio de tantos microfones azuis e brancos.

Para tudo ser perfeito só falta Vítor Pereira vir dizer que é do FCP desde pequenino e que, haja o que houver, vai permanecer sentado na cadeirinha por muitos e longos anos.

Vergonha!

Ao ler ESTE brilhante editorial sobre ESTA notícia já comentada pelo ETERNO capitão, só posso exclamar: VERGONHA!