Karl Moedas e os transportes públicos gratuitos em Lisboa

Quando, na antecâmara da campanha eleitoral pela CM de Lisboa, Beatriz Gomes Dias e João Ferreira avançaram com propostas para que a autarquia garantisse transportes públicos gratuitos na cidade, a direita arrancou as vestes, “monelhos de cavelo”, e guinchou, em uníssono, o conteúdo da cassete que é hoje a sua imagem de marca: comunismo, extrema-esquerda, marxismo cultural.

Agora, que Carlos Moedas reafirma a intenção de garantir transportes públicos gratuitos “para os mais novos e para os mais velhos”, sem contudo clarificar até que idade se é considerado “mais novo” e a partir de que idade se é considerado “mais velho”, dessa direita histérica acima descrita, que se agita ao sabor do vento e sem um plano para o país, nem um pio.

Contudo, sotor Carlos Moedas, se o objectivo é garantir a descarbonização, é fundamental que clarifique também qual será a situação dos principais utilizadores dos automóveis na cidade de Lisboa, que não são nem os mais novos, nem os mais velhos, mas a população trabalhadora que, regra geral, é mãe e pai dos primeiros, filho ou filha dos segundos. Dito isto, avante, camarada Moedas! Os transportes públicos brilharão para todos nós!

Conversas vadias 28

Com a presença dos vadios persistentes Orlando Sousa, António de Almeida, José Mário Teixeira, Francisco Miguel Valada, António Fernando Nabais e João Mendes, começou por se falar do assunto mais quente da semana, a erupção no país vizinho. Por estarem ainda incandescentes, passámos às eleições autárquicas e ao sismo que levou Medina e trouxe Moedas, com incursões no futuro talvez radioso de João Ferreira e as dificuldades do Bloco de Esquerda, mais a vitória sem comparação do Chega. Pelo meio, ainda espreitámos as prateleiras vazias do Brexit e acabámos a falar de bicicletas e de ciclovias. Sugestões? Sempre – livros, música e conselhos de higiene municipal, entre outros.

Aventar Podcast
Aventar Podcast
Conversas vadias 28







/

Notas sobre as Presidenciais 3: hecatombe à esquerda?

À medida que os resultados iam saindo, a narrativa da hecatombe à esquerda foi sendo construída, por painéis essencialmente feitos de fazedores do opinião alinhados à direita, que toda a gente sabe que a comunicação social é controlada pela esquerda.

Mas será que foi mesmo assim?

Comecemos pelos resultados PCP, responsáveis pelo primeiro momento de vergonha alheia da noite eleitoral, com assinatura de Rui Rio, que fez questão de dar grande ênfase, no seu discurso, ao facto de João Ferreira ter ficado atrás André Ventura, apesar de tal se dever, essencialmente, a votos do PSD.

[Read more…]

PCP tem medo de ficar atrás de Tino de Rans?

Imagem: RTP/Renascença

Já tinha ficado com a pulga atrás da orelha quando, no debate entre ambos, Vitorino Silva pediu a João Ferreira que aceitasse o convite para debater no Porto Canal. O candidato apoiado pelo PCP não respondeu. Soou estranho.

Hoje, o director de informação do Porto Canal, Tiago Girão, deu conta no Twitter (e mais tarde no próprio canal) que a candidatura de João Ferreira fez uma participação à Comissão Nacional de Eleições sobre os debates de Vitorino Silva contra os restantes candidatos, alegando que esses debates se transformariam numa vantagem de tempo de antena, favorecendo a candidatura de Vitorino.

A CNE emitiu, então, um parecer propondo à ERC uma medida provisória que impeça os debates em questão.

[Read more…]

Debates Presidenciais 2021: Marcelo toma um chá com Marisa, Ventura arrasta Ferreira para o lamaçal

Dois debates, de escassos 30 minutos.

No primeiro, onde reinou a educação e a cordialidade, Marcelo foi um elegante cavalheiro. Elogiou a adversária, tendo mesmo ido buscar a questão da luta pelo estatuto do cuidador informal – Marcelo, o hábil analista, fez, como se esperava, um bom trabalho de casa – elogiou o Bloco e até pediu ao moderador para deixar Marisa Matias concluir, quando Carlos Daniel queria passar a palavra ao presidente em funções. Gostava, sinceramente, de ver um Marcelo que não fosse a jogo com a eleição ganha. Assim é só chato. E, no meio do aborrecimento, onde ambos estiveram bem, parece-me, Marisa soube mostrar as garras, mas a teia de Marcelo ocupava já todo o estúdio.

No segundo, a antítese. À primeira pergunta, dirigida a João Ferreira por uma moderadora incapaz de segurar um André Ventura full-Trump mode, o líder do Chega demorou poucos segundos para começar a interromper ininterruptamente o adversário, com piadolas, risos histéricos e chavões. A escola CMTV de discussão futebolística hardcore. Foi um debate penoso. Ventura falava na sua vez e na vez de Ferreira, repetia a táctica Venezuela-URSS-Coreia do Norte (alguém o avise do bromance entre o seu ayatollah Trump e o seu amor norte-coreano, Kim) à exaustão, e tanto se esforçou que lá conseguiu, mais para o final, arrastar João Ferreira para o seu território: a lama. E conseguiu o que quis: caos e histeria. E a moderadora terminou o debate como começou: ausente. Um péssimo debate, excelente para perceber o manipulador populista que André Ventura é.

[Read more…]

Marcelo desmentido, mais uma vez

Marcelo Rebelo de Sousa está a ter uma pré-campanha difícil, o que é natural, porque está afastado do debate político há muito tempo, tendo-se limitado, no últimos anos, a desempenhar papéis em revistas à portuguesa, acolitado por compères compreensivos. Hoje, foi, mais uma vez, desmentido, depois de, no debate com Maria de Belém, ter citado o deputado comunista João Ferreira, que, na sua página de facebook, explica:

No debate com Maria de Belém, ontem na RTP1, disse Marcelo Rebelo de Sousa: “como disse o deputado comunista João Ferreira, Maria de Belém é ziguezagueante, tem duas caras, faz um discurso à esquerda enquanto procura charmar à direita”. Presumindo que o candidato se referia a este que vos escreve, já que outro João Ferreira deputado do PCP não conheço, cumpre-me humildemente advertir que:
1. Não disse nem o que está acima nem rigorosamente mais nada, publicamente e até à data, sobre a citada candidata;
2. Se o tivesse feito, se alguma coisa tivesse dito publicamente sobre Maria de Belém, certamente não seria que ela “faz um discurso à esquerda”, optaria antes por destacar e criticar aspectos reais do seu posicionamento político.
3. Juro que não sei o que é “charmar”, pelo que dificilmente usaria essa palavra para dizer o que quer que fosse;
4. Não sendo propriamente novidade, mais uma vez se confirma que o candidato do PSD e do CDS alia à sua conhecida (e reconhecida pelos pares) qualidade de cata-vento uma notável capacidade de invenção ou uma delirante imaginação. Ou ambas, melhor dizendo.

 

Esclarecimento

joao ferreira
Exmos Srs. Jornalistas, comentadores televisivos, publicistas em geral:

Venho, por este meio, informar-vos de um facto que, certamente por estardes ocupados com problemas de mais alto estado, não vos mereceu ainda atenção: é que a CDU tem um (excelente, digo eu) candidato à Câmara de Lisboa! Assim – e tenho a certeza de que esta noticia vos deixará cheios de júbilo e entusiasmo noticioso – os candidatos àquela autarquia não se resumem, como perece deduzir-se pela forma como tendes coberto a campanha eleitoral, ao verborreico António Costa (uma espécie de D.Sebastião do PS, vá lá saber-se porquê e canonizado por vós como vencedor-esmagador antes de o ser e isso sabemos porquê) e ao excitado Fernando Seara ( uma espécie de não sei quê, que aparece não sei porquê). [Read more…]

Benfica Campeão Nacional?

Parece que não queres o Pedro Proença, Francisco. É nomear o Duarte Gomes. Ou talvez o João «pode ser» Ferreira outra vez.

Pinto da Costa critica Vítor Pereira

 “Há duas expulsões claríssimas, que só não vê quem não quer” (Vítor Pereira)

“Falar de arbitragens é ridículo e estúpido” (Pinto da Costa)

Fora o árbitro! gatuno! filhodaputa!

Refiro-me a João Ferreira (AF Setúbal) e Cosme Machado (AF Braga). Os dois mete-nojo foram para a Escócia furar uma greve dos seus colegas escoceses.

É certo que João Ferreira quando chegou à Escócia desistiu da ideia, tal como o seu colega. Dizem que não tinham percebido ao que iam. O que se pode dizer de um árbitro que não viu ao que ia?

No mínimo que não vê nada à frente dos olhos. Dentro e fora do campo. No caso do amarelo da foto já sabíamos. Bem podia ter ficado na Escócia até terminar a carreira.

Porto inicia o jogo com o Benfica em vantagem

Estranhamente, ou talvez não, já se conhece a equipa com que o SLB enfrentará os seus adversários no próximo Domingo: no Dragão alinha com Olegário Benquerença, e na Pedreira com João Ferreira.

Lucílio Baptista descansa esta jornada, resguardando-se para o Benfica-Rio Ave da próxima. O mesmo acontece com Pedro Henriques, um homem fatigado depois de ter acertado em cheio num Falcão.

Não se pode dizer que a dupla Jesus / Rui Tuneleiro Costa não seja uma dupla de  homens previdentes.

Vergonha!

Ao ler ESTE brilhante editorial sobre ESTA notícia já comentada pelo ETERNO capitão, só posso exclamar: VERGONHA!