Povo GREGO vai votar na TROIKA

Somos todos gregos (galo de Barcelos com as cores da Grécia)O povo português é por natureza solidário. Apareceu por aí um manifesto de apoio ao povo grego e sucedem-se as manifestações de meia dúzia de pessoas com as mesmas intenções. Até eu, mudei no meu perfil do Face a localidade para ATENAS! SOMOS todos gregos.

Mas, estou curioso com uma coisa – a Democracia. Essa chatice!

Por cá, quando se perguntou ao povo “Troika” ou Não Troika, a resposta foi esmagadora: TROIKA!

Na Grécia? Como é que vai ser?

É que a malta até pode ser solidária, mas dá jeito que eles façam a parte deles!

Para Que Serve este Senhor?

As Sondagens Valem O Que Valem (E às vezes valem bastante)

O Presidente desta nossa Repúlica, senhor Cavaco Silva, teve agora uma queda significativa no agrado do Portugueses. O senhor chefe deste Estado recebeu por parte dos portugueses uma nota negativa (6,4%) e as suas declarações sobre o valor das suas pensões não chegar para pagar as despesas terá sido uma das razões que explicam este acontecimento. O homem abriu a boca sem ter ninguém por perto que o acalmasse e … estragou a pintura.

Sobre este assunto, diz-se o senhor Medeiros Ferreira  “muito preocupado, porque o Presidente é essencial para regular o normal funcionamento das instituições”(não sei muito bem o que isto quererá dizer), acrescentando ainda que o Presidente da República tem “falta de sentido político e estratégico”(isto já sei o que quer dizer e é totalmente verdade).

Há quem considere a situação “perigosa” dado que “pela primeira vez na história democrática deste país, temos um governo completamente à solta”(também não sei o que isto quer dizer, nem sei como o PR o prenderia, mas isto são palavras de um comentador político). [Read more…]

A quebra eleitoral do Bloco de Esquerda: factos

Roubei e adaptei este gráfico ao Pedro Magalhães: dá-nos a tendência das sondagens (neste caso relativas a BE, PCP e CDS) desde Janeiro de 2010. A seta coloquei-a no último pico favorável ao BE; a partir de finais do ano passado foi sempre a descer.

As sondagens valem o que valem (mas no caso do BE até valeram mais do que isso).

A quebra do Bloco de Esquerda e o início da pré-campanha de Manuel Alegre, feita de braço dado com o PS de José Sócrates, é pelo menos uma coincidência, que me parece significativa.

Más companhias…

Actualizando: o Pedro Magalhães teve a amabilidade e curiosidade de ampliar o gráfico de forma correcta, e substituí a mera ampliação gráfica pela sua. “A linha vertical é Novembro de 2010, início aproximado do declínio de Manuel Alegre nas sondagens para as presidenciais.” – fim de citação.

Primeiras projecções dos resultados eleitorais

Eis as primeiras projecções das eleições legislativas 2011

PSD- 37 a 42%

PS- 26 a 30%

CDS- 11 a 14%

CDU-7 a 9%

BE-5 a 7%

O Aventar continuará a acompanhar todos os resultados e tendências.

As sondagens das legislativas 2011

Fica aqui o apanhado das diversas sondagens das legislativas 2011.

[Read more…]

Mistérios RTP

Ontem no telejornal da RTP fez-se a análise da evolução do voto nas sondagens com base num gráfico com uma escolha de cores curiosa, como aqui se vê:

mistérios RTP

Estará alguém na RTP a precisar duma  Novas Oportunidades em termos de, por exemplo, grafismo e cores partidárias? O vídeo em causa pode ser visto aqui: A evolução do voto nas sondagens.

via A Educação do meu Umbigo

Sondagens

Indecisos

 A 10 de Setembro de 2009, a duas semanas das eleições, a Católica captava que 19% do eleitores manifestavam tencionar votar mas diziam não saber em quem. A uma semana das eleições, esse valor tinha baixado para 17%. Agora, a duas semanas das eleições, estamos com 28%. Mas notem como as coisas se complicam quando olhamos para a Marktest: em 2009, na última sondagem antes de eleições, a Marktest captaba 37% de indecisos. Na mais recente, 33,3%. Mas na última sondagem de Setembro de 2009 apenas 2,6% de pessoas diziam que não iriam votar

Pedro Magalhães, e é favor lerem o resto

Rating

As agências de sondagens são como as de rating. Têm os credores nos Conselhos de Administração e dão percentagem aos partidos, de acordo com os juros que lhes vão exigir. O PSD está bem cotado : AAA.
Luís Januário

Mais uma sondagem, mais uma corrida, mais uma viagem

As empresas de sondagens devem esfregar as mãos de contentes. Nos últimos dias ele é sondagem dia sim, dia não.

Alguns dados são mais ou menos idênticos entre as sondagens recentes, outros variam de empresa para empresa, de dia para dia. Vejamos: umas vezes com o PSD na frente, outras com o PS, a diferença entre os dois partidos tem sido mínima, dentro daquilo a que se chama empate técnico. O CDS sobe e vai precisar de mais táxis. A CDU mantém a constância a que se habituou e o BE arrisca-se a ser [Read more…]

Aritmética eleitoral em Coimbra para tótós

A direita hoje deu uns pulinhos a extrapolação de uma sondagem feita pelo Expresso. O método do semanário que sustenta a Euroexpansão é digno da empresa de sondagens que contrata: aplicar uma sondagem nacional aos distritos como se os resultados de cada círculo fossem proporcionais ao todo nacional. Já vi idiotices piores. Pelo menos é o que parece, se parece alguma coisa um “estudo” que ignora, por exemplo, que o BE elegeu um deputado em Leiria.

Motivo da felicidade: o BE perderia o seu deputado por Coimbra.

Em 2009, no total nacional, o Bloco de Esquerda teve 9,82% dos votos (e o CDS 10,43%). Mas em o BE Coimbra teve 10,77% e o CDS 8,74%. Como este ano Coimbra perdeu um deputado, os resultados serão sempre diferentes. Neste caso nem será forçosamente o 4º partido do distrito quem corre esse risco, já que o último a ser eleito foi, se não me falha a memória, do PSD. Primeiro não-eleito: o 2º da lista do BE.

E já agora, a distância a que ficou a CDU (5,76%), diz muito sobre o voto útil à esquerda no meu distrito. Claro que os resultados podem dar grandes cambalhotas. O pessoal do CDS sabe no entanto como são as sondagens em geral, e as da Euroexpansão em particular. Devo dizer que prefiro a eleição de Serpa Oliva pelo CDS, em detrimento de partidos como PS e PSD que não resistiram a meter paraquedistas entre o seus candidatos, no caso do PS reincidindo em Ana Jorge como cabeça de lista. Chamem-lhe bairrismo, mas direita por direita, ao menos que sejam de cá.

Canção pós-eleitoral de 5 de Junho de 2011 (hipótese)

Tive uma semana difícil. Do tempo preenchido com compromissos profissionais, sobrou muito pouco. Agora, findas as jornadas, tive a oportunidade de ler meia dúzia de notícias. Mas uma, esta, causou-me especial surpresa, ao revelar sondagens que atribuem a probabilidade de empate técnico entre PS e PSD – na sondagem da Universidade Católica, os socialistas superam com 36% os 34% do PSD.

Sondagens são sondagens. Valem o que valem, argumentam os políticos. No entanto, parece-me efectivamente possível que na noite eleitoral, conhecidos os resultados, haja alguém que não tenha ficado prevenido com o aviso: “Eu falei que isso ia dar merda”.

(“Isso” é, entre o mais, colocar Eduardo Catroga a comunicar desastradamente; ou impercetivelmente, como definiu Alberto João Jardim).

Um brasileiro diria: “Não diga que eu não falei”. Eu, português, afirmo: “Não diga que eu não avisei”. A finalidade da mensagem é igual. Tome-a a sério quem quiser.

Sondagem Legislativas: PSD a subir, PS a cair, BE a levantar, CDU e CDS a dormir

Se houvesse hoje eleições legislativas os resultados, segundo o Diário de Notícias, dariam vantagem ao PSD – 40%- sobre o PS – 26%. O BE duplicaria o seu número de votos relativamente às sondagens anteriores- 12%-, a CDU e o CDS disputariam a liga dos últimos com 8 e 7% respetivamente.

“Ora agora governo eu, ora depois és tu, a seguir volto eu, descansas e voltas tu, desta vez a crise é minha, a seguir será a tua, eu terei mais uma ou duas e vou intervalá-las com as tuas. Virou”.

Siga a música, que os dançarinos são os mesmos.

Sondagens Aventar

Resultados da última sondagem:

Com vitória destacada de Teixeira dos Santos, após uma luta corpo a corpo com Manuela Ferreira Leite  e Cavaco Silva, cujos apoiantes terminaram por desistir.

Já a correr nova sondagem: como vai votar nas Presidenciais? numa barra lateral perto de si.

Sondagens leva-as o vento…

Cavaco Silva com quase 60% de intenções de voto e 80% de pessoas que acreditam na sua reeleição mesmo que não votem nele, é desde já vencedor nas presidenciais.

Manuel Alegre muito longe e não fazendo o pleno do PS. Fernando Nobre fica-se pelos 12%. Os dados estão lançados. E para que isto se mantenha assim, Cavaco não mexe um dedo para ajudar o país a sair da situação. O mesmo se diga de Passos Coelho e de Sócrates. Um não sai, o outro não quer entrar.

PSD com 40% à beira da maioria, o PS com 34%, o PCP com 10%, BE com 8% e CDS com 5%, temos uma empate técnico entre a esquerda e a direita. Bonito serviço, só faltava isso, um país numa crise destas e não haver saída política. É o que acontece aos incompetentes!

É muito possível, se Passos não deixar que se enraíze a ideia que possa vir a mexer no Estado Social, que o descontentamento seja uma drenagem de votos do PS para o PSD, o pior está para vir, como a subida do desemprego é sinal.

Passos Coelho muito perto de ser o próximo primeiro ministro!

A vantagem de não ter dinheiro

Costuma dizer-se que quem não tem dinheiro não tem vícios, e é bem verdade. Da mesma forma, políticos insensatos, sem dinheiro não o gastam mal gasto. Não deixa de ser uma vantagem!

Depois da humilhação de vir cá ao país o Presidente do BCE dar uns açoites a quem nos governa, as certezas do animal feroz que, contra todas as evidências, queria gastar mais e mais dinheiro em obras faraónicas de duvidosa utilidade, congelaram.

Entretanto, numa daquelas sondagens que dizem o que é preciso, por isso o melhor mesmo é não dar grande crédito, o PSD passou o PS nas intenções de voto. Não sei se passou, mas terem-se movido já é um péssimo sinal para Sócrates.

O aumento de impostos vem a caminho como era fatal, pese embora o primeiro ministro ainda a semana passada garantir que não constava no PEC o aumento dos impostos e, que por isso, “senhora deputada, vê no nosso programa o aumento de impostos?” Não via mas uma semana depois passou a ver.

O 13º mês deve ir à vida e o 14º tambem embora escondam o jogo até poderem. Quem não aguenta com a taxação são as mais-valias em bolsa, essas é que não, o dinheiro foge (para as off shores?) talvez metade de 20% enquanto o povo que trabalha e as empresas que criam emprego levam com mais do dobro.

Tudo socialista, tudo a bem da nação, gritam agora os responsáveis da miséria em que estamos, vamos dar as mãos, qual violino a assobiar baixinho…

E a malta vai na música…

PSD na frente:

Hoje recebi, por mão amiga, os resultados de uma sondagem que vai ser publicada amanhã no Diário Económico e na TSF. Foi-me pedido segredo. Cumpri. Mas afinal já começou a circular. Ok, então vou publicar:

Segundo o estudo de opinião da Marktest para Diário Económico/TSF os resultados são os seguintes:

PSD 39,8
PS 34
BE 8,3
CDU 7,2
CDS 4,5

PSD – Directas # 7: É só fumaça…

O Nuno Gouveia está a tentar fazer uma coisa que na minha terra se chama: virar o bico ao prego. Grande malandro!

O que a sondagem do DE nos informa é coisa diversa: Os portugueses, de forma bem clara, entendem que Pedro Passos Coelho é o melhor candidato do PSD para ser Primeiro-ministro. Mais, até o eleitorado socialista reconhece isso de forma clara, um pouco mais clara que o eleitorado do PSD, o que se percebe. Ninguém melhor que os votantes PS nas últimas para perceberem que é tempo de mudar. Eles sabem bem o quanto já estão arrependidos e nem colocam dúvidas: próximooo! Já o eleitorado PSD, mesmo preferindo claramente Passos Coelho, ainda lhe custa a acreditar que o eleitorado socialista tenha aprendido a lição. Mas aprendeu.

Ora, o Nuno Gouveia percebeu perfeitamente. Está apenas a tentar transformar a realidade num derradeiro esforço em prol do seu candidato. Só lhe fica bem. O pior é quando a malta lê, com olhos de ler, a notícia/sondagem. Pois é. Afinal…

Adenda: Segundo a sondagem, a maioria dos portugueses preferem Passos Coelho como candidato do PSD a Primeiro-ministro

O PSD, as Sondagens e as Directas

Hoje no Facebook, nalguns blogs e no twitter imperou o nervoso miudinho por causa da sondagem do Sol (51% para Passos Coelho entre os militantes).

Não havia necessidade. As sondagens valem o que valem, o importante e o que conta é a vontade expressa através do voto, no próximo dia 26, pelos militantes. É preciso ter calma e ter cuidado com os ataques: a empresa em causa é a mesma que fez o tracking diário da campanha de Manuela Ferreira Leite, ou seja, colar à candidatura de Pedro Passos Coelho é precipitado, meus caros…

É preciso ter calma, o Povo (laranja) é sereno…e soberano. Quer dizer, boa parte dele: o Grande Educador da Classe Laranja anda nervoso!

Faltam 420 dias para o Fim do Mundo

Nos últimos dias sucedem-se as notícias sobre bullying, agora foi um professor que se suicidou. Sobre o tema aconselho a leitura do artigo de Martim A. Figueiredo no i.

Este fim-de-semana temos congresso do PSD e alguns continuam a suspirar por D. Sebastião. Ou que Cristo desça à terra ou que em Mafra se cante “somos um Rio”. O Aventar estará atento. Pelo caminho, Passos avisa que colou cartazes, Aguiar Branco não acredita em Mosqueteiros (e não estamos a falar de supermercados) e Marques Guedes procura segurar Sócrates. Hoje é dia de sondagem sobre as intenções de voto nos partidos e amanhã é publicada a sondagem sobre as directas que o Aventar antecipou: os portugueses preferem Passos Coelho e os militantes?

Quem encontrar o caixote do lixo com as escutas terá direito ao Euromilhões

O ex-Presidente Sampaio aconselha Cavaco?

Por muito menos, o Presidente Jorge Sampaio, demitiu um governo, convocou eleições e deu o poder ao PS!

Não será aconselhável sabermos qual será a sua opinião sobre o que se passa com o primeiro ministro de Portugal? Aconselhável e desejável?

Será que se as sondagens fossem outras Sampaio teria decidido como decidiu ?

E Cavaco teria já tomado uma posição firme quanto a estas histórias se as sondagens fossem outras?

O Presidente Sampaio e o Presidente Cavaco falam sobre estas coisas? Quanto tempo é possível sustentar uma situação politica e económica muito grave com um primeiro ministro sem qualquer credibilidade?

Ou são mesmo as sondagens a decidir o destino dos governos em Portugal?