Ele é tão evidentemente estúpido… É um rufia, um cão, um porco, um aldrabão, um artista da mentira, um vadio que não sabe do que está a falar

E quem o disse foi o Robert de Niro. É esta capacidade que os homens das artes têm: expressar o que nós temos dificuldade em dizer. E, tudo o que se possa dizer sobre o imbecil do Trump será pouco, mas os U2 também já nos ajudaram a expressar o que vai na alma do Mundo perante tal personagem.

Ne me quitte pas

FullSizeRender

Foi ao som de “Ne me quitte pas” de Jacques Brel que Bono Vox, ajoelhado,  fez a homenagem dos U2 a Paris e encerrou a iNNOCENCE Tour.

Ver Bono ajoelhado fez-me pensar na política francesa e europeia. Está quase a fazer um ano que regressei a Paris e voltei a ver/sentir o que já tinha visto e sentido poucos anos antes. Desconforto.

Desconforto de muitos franceses, portugueses, africanos ou asiáticos que se sentiam (e sentem) “abandonados” por um conjunto de políticas internas descuidadas que os atiram para os braços da Frente Nacional, uma espécie de “lado negro” da política francesa. E as últimas eleições em França (tanto as europeias como agora as regionais) são disso testemunha.

[Read more…]

Raised by Wolves, dos U2

Pode ser visto exclusivamente durante umas horas no site Nowness. Este video tem a particularidade de ter sido realizado em Lisboa por um dos nossos excelentes artistas dessa arte ainda vista como menor, a street art. O realizador é o lisboeta Vhils, que faz estes trabalhos fabulosos:

Sons do Aventar :: U2 :: Songs of Innocence II

Songs-of-innocence-460x402

 

O tempo é bom conselheiro. Escrevi aqui sobre o último trabalho dos U2 logo após a sua publicação no iTunes. Agora, passados uns dias e depois de ouvir “Songs of innocence” várias centenas de vezes (sim, centenas delas) julgo estar mais habilitado para uma análise mais “profunda”.

Para início de conversa: é o melhor álbum dos U2 desde 1991. Ou seja, desde “Achtung Baby”. Nunca me tinha acontecido tal. Nas primeiras audições gostei, apenas e só. Quanto mais vezes ouvia e ouço, cada vez gosto mais. Talvez tenha começado por ouvir ainda com os dois anteriores em mente, os que menos gosto da banda. Um preconceito errado. Mea culpa.

As primeiras músicas que me despertaram a atenção foram “Every breaking wave”, “California”, “Song for Someone”, “The Troubles” e “Raised By Wolves”. Ao longo dos dias e das várias audições despertei para “Iris, hold me close” e “Sleep like a baby tonight”, “Cederwood road” ou “This is where you can reach” e assim de repente temos praticamente todo o álbum. Portanto, estou rendido. Algumas vão “explodir” ao vivo graças ao seu enorme potencial em concerto. Outras vão ficar para sempre coladas ao corpo. Ok, não estamos perante um “War”, “Inforgettable Fire”, “The Joshua Tree” ou mesmo “October”. Mas não fica muito longe de alguns deles, não senhor. Arrisco mesmo que é um renascer.

Agora é esperar, ansiosamente, que arranquem os concertos! E enquanto isso, mais umas centenas de vezes a ouvir estes “songs of innocence” enquanto não chega o “Songs of Experience”…

Every breaking wave on the shore
Tells the next one “there’ll be one more”
Every gambler knows that to lose
Is what you’re really there for
Someone I was fearless
Now I speak into answer phone
Like every falling leaf on the breeze
Winter wouldn’t leave it alone
Alone

If you go?
If you go your way and I go mine
Are we so?
Are we so helpless against the tide?
Baby, every dog of street
Knows that we’re in love with defeat
Are we ready to be swept off our feet
And stop chasing
Every breaking wave

Sons do Aventar :: U2 :: Songs of innocence

Songs of innocence

Songs of innocence

 

Já uma vez escrevi: os U2 até podiam lançar um disco de fados que eu o compraria para juntar à minha colecção. Porém, uma coisa é coleccionar. Outra é gostar. E sou assaltado por justas dúvidas da qualidade que teria tal obra.

As mesmas dúvidas que tenho com os últimos dois álbuns dos U2 (“How to dismantle an atomic bomb” de 2004 e “No line on the horizon de 2009”). Nem me atrevo a comparar com “War” de 1983, “The Unforgettable Fire” de 1984 ou “The Joshua Tree” de 1987 – estes dois últimos são os meus preferidos sendo que se fosse obrigado a escolher “o melhor” não teria qualquer dúvida: “The Joshua Tree”. Ainda hoje é obrigatório na minha playlist e a ele volto sempre que me apetece ouvir boa música. Ou seja, todos os meses.

Esta madrugada fui surpreendido com uma prenda da Apple: descarregaram automaticamente e de borla o novo trabalho dos U2, “Songs of Innocence”. Não teve nada de inocente. Uma borla que serve todas as partes envolvidas: os U2 pela promoção e sabendo que nos tempos que correm não é a vender música que se ganha dinheiro (é a vender concertos), a Apple que sabe como poucos publicitar os seus produtos sem gastar grande coisa em publicidade e eu que, independentemente da qualidade da obra, teria de a adquirir na mesma.

[Read more…]

Dezembro


It was a cold and wet December day

Outubro

October and the trees are stripped bare
Of all they wear.
What do I care?

October and kingdoms rise
And kingdoms fall
But you go on
And on.

byU2

Briooooooosa!

Em Coimbra o Bono entrou aos gritos: Briooooosa. Hoje, o nosso JJC anda pelas ruas da sua Coimbra a imitar o Bono. É para ele, para o nosso JJC, que dedico este vídeo:

Obrigatório ouvir:

Eles, dos melhores, interpretam à sua maneira (e que maneira!) todo o álbum “Achtung Baby”. Foi em 1991 que a melhor banda de rock de todos os tempos, os U2, o lançou. Passados 20 anos…parece que foi ontem e estou mesmo a ficar velho! Ainda hoje é fantástico.

 

Alinhamento: Nine Inch Nails – Zoo Station; Jacques Lu Cont Mix/U2 – Even Better Than The Real Thing;  Damien Rice – One; Patti Smith – Until The End Of The World; Garbage – Who’s Gonna Ride Your Wild Horses; Depeche Mode – So Cruel; Snow Patrol – Mysterious Ways; The Fray – Trying To Throw Your Arms Around The World; Gavin Friday – The Fly; The Killers – Ultraviolet (Light My Way); Glasvegas – Acrobat; Jack White – Love Is Blindness.

A rainha que tem as mãos sujas de sangue

Um Grande 2011 para todos!!!

Saudade um mês depois:

Ainda os concertos "subsidiados" dos U2 em Coimbra

À atenção do Fernando Moreira de Sá, a quem agradeço a dedicatória mas não perdoarei ter passado pela minha aldeia sem termos bebido um copo: a Turismo de Coimbra, Empresa Municipal, tinha 200 000 orçamentados para animações paralelas aos concertos e para as festas da cidade. Eu diria que a uma boa fatia do bolo foi gasta em Julho. Está em acta municipal, e em Coimbra só não sabia quem não lê blogs.

Claro que a isto convém somar a limpeza (30 000, se bem li), os transportes, e mais uns trocos para acabar as obras do estádio onde não entravam veículos pesados.

Devo dizer que concordo em princípio com o que o Fernando escreveu, e só agora li. É obrigação do município de uma cidade que se pretende destino turístico assegurar uma boa estadia a quem nos visita e o retorno económico foi mais que óbvio. Muita gente prolongou o fim-de-semana em Coimbra até ao 5 de Outubro, e isso foi bom para o comércio e a hotelaria.

De resto quem ganhou mesmo com o negócio até foi a Académica OAF que gere um estádio municipal como se fosse seu, mas antes assim que por outras vias, e deixo o seu presidente arguido Simões para outro dia que hoje não me apetece falar de coisas tristes.

U2 em Portugal 2010:

Foram cerca de 7000 visualizações em apenas três dias naquele que foi o primeiro vídeo que meti no meu canal no YouTube. Foi um concerto memorável numa cidade maravilhosa:

U2 ao Vivo em Coimbra:

É o meu primeiro vídeo no Youtube e dedico-o ao JJC pois foi nessa sua terra, Coimbra, que assisti ontem a um dos melhores concertos da minha vida:

U2 em Coimbra, hoje com uma novidade no reportório

http://www.dailymotion.com/swf/video/x76bf2_gene-kelly-i-m-singing-in-the-rain_music?additionalInfos=0
Gene Kelly – I’m Singing in the Rain

Nunca na minha aldeia tinha visto tanto cota como ontem. Até me senti mais novo.

U2 em Coimbra

Vi-os em Vilar de Mouros, jovens e desconhecidos, creio que pelos idos de 82. Em Coimbra, esta noite, quase trinta anos depois, apresenta-se um super-grupo, provavelmente o maior da actualidade, uma marca planetária a anos-luz dos rapazes de Vilar de Mouros e das ruas de Dublin. Nunca mais os vi e hoje também não calha. Devem estar a tocar à hora a que escrevo este poste. Há três dias, em Sevilha, o início foi como se vê:

e continuou assim: [Read more…]

Rápidas melhoras

26 de Março de 2010

Ao longo destes dias, um grupo de homens e mulheres cruzou os seus caminhos pelas redes sociais. É a eles e depois da retumbante vitória de ontem que quero dedicar esta música.

Obrigado:

CAA, ANL, VC, CGO, PG, RS, LM, CSC, MFR, PM, AV, AM, AAN, PMF, JCM, TAF, MS, SL, JSM, MX, TC, MA, FMF, RV.

(as minhas desculpas se me esqueci de alguém e por não ter o link de todos, mas vocês sabem que me lembrarei sempre de todos e de cada um).

Hope for Haiti Now!

Já estava a demorar:

“The Edge and Bono are among a stellar line-up of acts taking part tonight in ‘Hope for Haiti Now: A Global Benefit for Earthquake Relief‘.

The two-hour telethon is going out live across the world and performances will be available to download in the iTunes store tomorrow morning – all funds raised going to ‘Hope for Haiti Now’ charities. Details on when and where to tune in right here.

With Haiti in mind, Edge and Bono have collaborated with Jay-Z, Rihanna and producer Swizz Beatz on a new song, ‘Stranded’. Written, recorded, performed and released… all within a week. More here”.

nÃO sEJAS dURO dE oUVIDO – dEZ/09 – # 10- U2:

É Natal. Um data como esta só podia ter uma escolha como esta: U2!.

Em Março os U2 regressaram com um novo álbum de originais e uma inacreditável tournée (em Portugal apenas em 2010). No Line on the Horizon não é o seu melhor trabalho (nem por sombras) mas qualquer novo disco dos U2 é um acontecimento marcante e por isso está, igualmente, no melhor do ano. Feliz Natal!

H1N1

Apanhamos a gripe A mas estamos, lentamente, a recuperar. Atchim…

 

(entretanto, alguém sabe quando estão à venda os bilhetes para o segundo concerto dos U2???)

U2 360º Tour 2009

Os U2 são a minha banda de adolescência que se prolongou pela idade adulta. O novo trabalho é mediano mas os concertos são sempre “de estalo”. O palco desta nova tournée é um espanto. Aqui ficam dois vídeos de amostra: