A falta de maneiras de Seguro Sanches

O ministro dos negócios estrangeiros salientou “que a State Grid (a energética chinesa e principal acionista da REN) tem sido “um parceiro fiável e não trouxe nenhuma dificuldade”, tal como aconteceu noutras empresas, com maioria de capital em mãos chinesas como a EDP ou o BCP, onde “a intervenção [chinesa] foi no sentido de estabilizar os acionistas”.

Sem dúvida, estabilizar os accionistas e atacar o estado quando as decisões deste não lhes convêm. Patente no caso da EDP, seja por meio de ameaças de recorrência ao ominoso mecanismo arbitral internacional investidor-estado (ISDS), seja agora por meio de um tribunal nacional. Os investidores estrangeiros estão à vontade, têm acesso às duas vias, opcionalmente, simultaneamente ou consecutivamente. Um direito todo exclusivo que assiste a actores globais deste calibre.

Aliás, às tantas, na visão do ministro esta “dificuldade” não foi causada pelo “parceiro fiável”, mas pelo desplante do ex-secretário de estado da energia, Jorge Seguro Sanches, de enfrentar o “parceiro fiável” para defender os cidadãos. Tudo por uns ridículos 285 milhõezitos que a EDP foi obrigada a devolver (o suficiente, por exemplo, para financiar durante um ano o funcionamento de 250 escolas).

De facto, Seguro Sanches não foi nada diplomático, pois não?

Para os cidadãos, fica o pagamento das facturas, sem esquecer as das custas judiciais. Não, sr. ministro, nenhuma dificuldade à vista.

A postos

Aguardo ansiosamente o momento em que Santos Silva nos convoque para levar a democracia e os direitos humanos a Alcácer-Quibir.

Festival da Canção

Parabéns ao Ministro dos Negócios Estrangeiros, Santos Silva. Excelente trabalho.

Augusto Santos Silva e as despesas de um Pasquim

Augusto Santos Silva, ex-Ministro da defesa escreve no seu mural do Facebook:Imagem do perfil do Facebook de Augusto Santos Silva

“O total de pagamentos efetuados com o cartão de crédito que utilizei como ministro da Defesa foi de 2.954,39 euros (dois mil, novecentos e cinquenta e quatro euros, e trinta e nove cêntimos). Considerando que estive 20 meses nesse lugar, isto dá uma média mensal de 147,72 euros (cento e quarenta e sete euros, e setenta e dois cêntimos).”

Este facto mostra como é imbecil a forma como um pasquim vestido de jornal continua a correr atrás de fantasmas!

A troika que se vai embora

Lamentavelmente, vão tarde e a más horas.

Sócrates já não é primeiro ministro…

…nem Teixeira dos Santos é ministro das Finanças.

O verdadeiro primeiro é, pelos vistos, este e tem a mania de ir às compras com o cartão de crédito sem que alguém lhe ponha limites. O efetivo ministro das Finanças é este e já lançou um novo imposto sobre os portugueses, o chamado Imposto-bate-em-mim-resvala-e-pagas-tu, abreviatura de Imposto-bate-em-mim-resvala-e-pagas-tu-mesmo-que-eu-seja-público-e-o-governo-pense-que-manda-nisto.

Sem periscópio não se vê o embuste…

Os submarinos foram comprados sem que o contrato que articulava a compra com as contrapartidas fosse assinado. Este contrato, segundo Santos Silva, foi preparado e autorizado pelo Governo de Guterres mas desapareceu com a assinatura do contrato de compra no governo de Durão/Portas. Este contrato de articulação entre a compra e as contrapartidas ia permitir o cumprimento das contrapartidas e a sua fiscalização.

Atado de pés e mãos, Santos Silva diz-se impotente quanto à possibilidade de renegociar os submarinos!

Um ministro com as gravações bem contadas

Augusto Santos Silva é um bocado desbocado, sabia-se, e vai ter agora de explicar como sabia o número exacto de cassetes (52) onde terão sido gravadas conversas do grande líder. O Sol online confirma uma suspeita que me ficou quando ontem o ouvi na SIC Notícias: tal número era desconhecido do público, ao contrário do que afirmou.

Tratando-se do actual ministro da Defesa ficam suposições no ar sobre a forma como obteve a informação, suposições óbvias e que nos fazem entrar no território do golpe de estado, uso dos serviços de informação para cobertura partidária, etc. etc.

Já agora, essa de as escutas serem gravadas em k7’s dá vontade de rir: a polícia portuguesa ainda anda no analógico? Não gravam em suporte digital porquê? Será que têm medo da pirataria informática?

Considerações breves sobre o novo Governo

Basicamente, o novo Governo é mais do mesmo. Teixeira dos Santos, Pedro Silva Pereira, Augusto Santos Silva, Vieira da Silva, Luis Amado, Rui Pereira, Ana Jorge e Mariano Gago continuam. Jorge Lacão, João Tiago Silveira e Alberto Martins já faziam parte do sistema. Isabel Alçada há muito que estava sob a alçada do PS. O resto são minudências sem qualquer força política – irão apagar-se perante a força do primeiro-ministro.

No meio disto tudo, estou curioso para ver o desempenho de Santos Silva na Defesa – para quem gosta tanto de malhar, vai ser engraçado a tropa pô-lo em sentido. E também vou gostar de ver Isabe Alçada, que vai ter os seus principais problemas resolvidos logo que a Oposição acabar com a divisão do Estatuto da Carreira Docente e com o actual modelo de avaliação de professores. Quanto à ministra Pássaro, mais valia chamar-se Betão, porque tem sido esse o papel do Ministério do Ambiente – a glorificação do betão.