O que fará no futuro Sampaio da Nóvoa com 22% dos votos?

Na sequência destas eleições presidenciais o Professor Sampaio da Nóvoa fica com um capital político pessoal superior a 20% dos votos. Irá regressar para casa sossegado? Terá outras ambições politicas? O que fará com este milhão de votos que obteve esta noite? Esta será com toda a certeza uma questão que se colocará nos próximos tempos.

Sampaio da Nóvoa marca pontos com o seu discurso final

Não fui apoiante e estou ideologicamente afastado do Professor António Sampaio da Nóvoa mas elogio o discurso pacificador, conciliador e congregador do antigo reitor da Universidade de Lisboa.

Sampaio pode agradecer à Marisa

Spt

Se por acaso Sampaio da Nóvoa passar à segunda volta das presidenciais bem pode agradecer à Marisa o trabalho que ele deveria ter feito e não fez. E esse trabalho era eliminar Maria de Belém na primeira volta. Sampaio foi incapaz de se destacar de Belém por mérito próprio. Em vez de trabalharem na sua estratégia de campanha, os seus apoiantes (não sei se com mandato seu ou não) andaram a mandar recadinhos para dentro do Bloco para a Marisa desistir… Ironicamente, foi a própria Marisa que fez o trabalho que nem Sampaio nem os seus apoiantes foram capazes de fazer. A Marisa matou a candidatura de Maria de Belém.

Sampaio fez uma campanha fraquinha e sofrível. Foi o mesmo Sampaio (na altura António Nóvoa e ainda sem ambições) que descobri num Prós e Contras de 12/12/2011 sobre o ensino superior com a presença do Ministro Nuno Crato, em que foi insípido, inodoro e incolor sobre o tema, exceto quando se gabou exaustivamente sobre o processo de fusão de universidades em que participou (isso foi positivo obviamente) para gáudio do Ministro. Dito isto, obviamente que votarei Sampaio se este passar à segunda volta sem engolir sapos nem rãs (com tino e sem tino), porque tenho a certeza que será fiel aos valores que tem defendido na campanha, embora eu suspeite que ele será um presidente muito fraquinho. Parece-me claro que a Marisa é de longe a candidata de esquerda mais forte e se isto fosse como nos filmes a Marisa mandava agora um sprint até ao segundo lugar e lixava o Nóvoa (bem merecia). Por mim, vou acreditar em filmes até domingo à noite e vou votar com um gosto bestial na Marisa.

Se não erra, o Correio da Manhã mente

Ontem, na sequência das suspeições lançadas pelo candidato presidencial Cândido Ferreira, num trabalho de investigação carregado de labor jornalístico, o CM noticiou que “Suiça valida falsa licenciatura de Nóvoa“.

Hoje, sob o inefável título “Nóvoa diz que tem curso na Suiça“, afirma que “Sampaio da Nóvoa confirmou ontem, em resposta enviada ao CM, que a única licenciatura que possui é o diploma em Ciências da Educação pela Universidade de Genebra, na Suíça, em 1982“.

O leitor assíduo do jornal terá, perante isto, que gerir quatro caóticas dúvidas: então a falsa licenciatura foi tirada na Suiça? Ou é mesmo verdadeira mas a única que possui? Se sim, será que é preciso mais do que uma licenciatura para que um cidadão se candidate à Presidência da República? O Tino de Rans terá quantas licenciaturas?

A confusão desvanece-se um pouco com o período seguinte: “Tal como o CM avançou, em Portugal, o candidato frequentou um curso superior no Conservatório Nacional de Lisboa, em 1976, mas que não confere o grau de licenciatura.

Dirá o leitor do CM, se Sampaio da Nóvoa tem uma licenciatura em Ciências da Educação pela Universidade de Genebra e não tem nenhuma licenciatura em Portugal, provavelmente a lei exige que os candidatos à Presidência da República tenham concluído os seus estudos superiores em território nacional.

Não, afinal não é isso.”Sampaio da Nóvoa explica ainda que conseguiu fazer a licenciatura, na Universidade de Genebra, em apenas dois anos porque era um aluno exemplar” Diz ele ao CM que “o curso não tinha uma duração fixa. No meu caso, devido à dedicação total e exclusiva ao curso, consegui concluí-lo em dois anos. É esta, como referi, a minha única licenciatura“.

E é assim que, não havendo na realidade qualquer notícia, fica o caldinho feito para que o leitor crie a sua, fazendo a síntese: Dois anos? Ah, então a licenciatura foi uma borla. Se assim foi, não admira que o homem tenha dois doutoramentos! E que, para os conseguir, os tenha ido buscar, à sorrelfa, lá fora! O primeiro, claro, na Universidade da licenciatura, fica tudo em casa, não é?, e com classificação máxima, como convém para espantar a caça. E o segundo na Sorbonne, pois, e já sabemos como os franceses aceitam teses que nem são escritas pelos próprios. Assim também eu sou reitor, etc.

Há uma norma no Código Deontológico do Jornalista português que diz o seguinte: “5. O jornalista deve assumir a responsabilidade por todos os seus trabalhos e actos profissionais, assim como promover a pronta rectificação das informações que se revelem inexactas ou falsas.”

Ao não corrigir a notícia da véspera (ela sim, falsa, não a licenciatura) e ao tentar endrominar os leitores apresentando os novos dados como uma confirmação daquela (“tal como o CM avançou, em Portugal, o candidato frequentou um curso superior no Conservatório Nacional de Lisboa, em 1976, mas que não confere o grau de licenciatura”, como se essa fosse a verdade do dia anterior), o CM demonstra que não faz jornalismo, antes descarada mente quando lhe dá na real gana.

 

 

Grandes frases

Sampaio da Nóvoa afirmou ontem que  “Marcelo já negou nesta campanha mais vezes Pedro do que Pedro negou Cristo.” Com a Páscoa à porta, falta saber quem vai parar à cruz.

Domingo, não faltes à festa de despedida

Com a idade, essa teimosa realidade que nos persegue, vamos percebendo que o mundo não é feito em tons simples, não é apenas preto e branco e que, algures ali pelo meio, há uma infinidade de outros tons a pintar o mundo.

Mas, contraditoriamente, há dias em que tudo é muito simples e domingo é um desses dias. Há uma opção a fazer – e sobre essa, escrevo mais à frente – mas, há um acontecimento a que nenhum português poderá faltar: a festa de despedida de Cavaco Silva.

Poderia recorrer a todos os adjetivos normalmente utilizados pelo Bruno de Carvalho e pelo Octávio para valorizar o trabalho das equipas de apitagem, mas  vou ser um pouco mais simpático. Cavaco é oposto de tudo. É o oposto da democracia, da liberdade, da cidadania.

Cavaco é o oposto ao que deveria ser um Presidente da República.

Não poderia, em caso algum, faltar a tal festa e por isso, domingo, vou votar em Sampaio da Nóvoa.

Voto Sampaio da Nóvoa porque:
a) acho que é o tempo de uma pessoa “normal”, um de Nós, alguém que fez a sua vida a trabalhar, poder dar um rumo ao país. Não é “um Deus”, um tipo que não nasceu para ser rei numa república. É apenas uma pessoa;
B) um cidadão que não teve medo, que se apresentou e que fez o seu caminho de forma livre. E, a liberdade é para mim um conceito estruturante.
C) precisamos todos de alguém que valorize a Língua e o espaço da lusofonia como eixo da centralidade que podemos ter no mundo.
D) os direitos humanos, como a saúde e a educação são bens públicos para todos. Sampaio da Nóvoa, como eu, defende o Estado Social, de qualidade, para todos;
E) É um pensador, que quer ser político por Nós, pelo futuro. Diz hoje o que dizia ontem e não está dependente de grupos ou facções. Quem o lê, como eu, há muitos anos, sabe que o seu pensamento é estruturado e estável. Não muda em função do vento;
Fiz a minha escolha há muito tempo e, agora que chegou o momento da FESTA, estou convicto da certeza da minha opção.

E, quanto a Cavaco, ADEUS! Até NUNCA!

Entretanto, no Correio da Manha

SNAP

Via Uma Página Numa Rede Social.

O ” messias ” Francisco Assis ficou sem espelho em casa

são-francisco-assis
O auto-denominado ” messias ” do Partido Socialista, Francisco Assis, acusa o agora candidato presidencial António Sampaio da Nóvoa de ” messianismo “.

Ainda não vai muito longe o jantar da Bairrada, após as últimas eleições legislativas, em que o anfitrião Francisco Assis reuniu os amigos João Proença, José Junqueiro, Eurico Dias Brilhante, António Galamba, Manuel dos Santos e até Narciso Miranda para debaterem o futuro do PS e do País.

Na altura o País rapidamente percebeu que o único objectivo do repasto era criar uma solução ” messiânica ” à volta de Francisco Assis de forma a tentar fazer cair António Costa no Partido, bem como a solução governativa que estava a construir com o apoio parlamentar do BE, do PCP, Verdes e o PAN.

Aliás consta mesmo que este foi o jantar que teve muito mais ” leitão ” que convidados. Atendendo ao inequívoco insucesso da iniciativa política rapidamente o ” leitão ” deixou de fazer parte da ementa – leia-se agenda política do ” messias ” Assis – para se colocar ao lado do novo Primeiro-Ministro, António Costa.

Agora que a festa é outra – leia-se eleições presidenciais – estará Francisco Assis a pensar organizar um novo jantar na Bairrada agora de apoio a Maria de Belém?

Política: Cá se fazem

Uma candidatura a Presidente em cima de uma candidatura a Primeiro-Ministro. Ora, são os dois iguais, mas há um mais igual que outro.

Querem ver que o General Eanes quer minar a campanha do Sampaio da Nóvoa?

Ele [Cavaco Silva] era um homem capaz, competente, interessado e honesto. Essencialmente apoio o professor Nóvoa porque essas condições e qualidades ele também tinha. [DN]

O candidato de Fação

Marcelo Nóvoa

Segundo o Expresso, Marcelo Rebelo de Sousa ter-se-á dirigido a António Sampaio da Nóvoa, durante o debate de ontem, nos seguintes termos: “O senhor é um candidato de fação”. Lembrei-me do episódio ocorrido há uns anos, com órgãos de comunicação social a insinuarem que João Semedo teria acusado Cavaco Silva de fazer um “discurso de fação”.

Como acontecera com Semedo, [faˈsɐ̃ũ̯] foi aquilo que Rebelo de Sousa efectivamente pronunciou e, por isso, teremos «não pode ser de facção» (4:41) e «de uma facção contra outra facção» (18:14), em vez de «não pode ser de fação [?]» ou «de uma fação [?] contra outra fação [?]». Aliás, para se perceber aquilo que aconteceu, basta consultar jornais de referência:

Ele alinha com uma parte do país contra a outra parte do País. O Presidente não pode ser de facção.

Durante o debate, não ouvi aquilo que o Expresso diz que Rebelo de Sousa disse: «O senhor é um candidato de fação [?]». Talvez nos bastidores, mas não me chegou qualquer registo dessa ocorrência: por isso, para já, ficamos sem saber se Rebelo de Sousa insinuou que Sampaio da Nóvoa era um candidato de Fação. Como sabemos, há quem seja acusado de contra Fação. Exactamente: contra Fação.

Desejo-vos um óptimo fim-de-semana.

fação

Estar na missa ou num debate: duas coisas bem diferentes

Lá na minha rua havia um puto fantástico com a bolinha no pé. Na rodinha, ao meio, nos aquecimentos, era o maior. Fazia coisas que mais ninguém conseguia fazer e quando a bola era só para ele, então…

Mas, houve um dia que começou a jogar futebol, um desporto de equipa, com adversários do outro lado e a coisa começou a complicar. Não estava habituado a ter resposta, a ter gente para fintar e falhou. Nunca conseguiu ser um titular, nem do cinco inicial lá da rua.

Hoje, ao ver o candidato-que-faz-de-conta-que-está-morto a debater com Sampaio da Nóvoa lembrei-me desse amigo de infância.

Mas, com uma diferença – a tareia que o candidato-que-faz-de-conta-que-está-morto levou foi bem maior.

É giro perceber como a história se repete

SNAP em 2016, a forçar a Democracia como em 1986. Da série Sondagens e eleições.

Rui Rio e Passos perderam

novoaAs presidenciais estão aí, apesar do dossier legislativas continuar mais que aberto. O Professor Sampaio da Nóvoa veio a público afirmar a sua presença nesta luta, apesar do comportamento dos três partidos à esquerda que, na prática, estão a contribuir para o aumento de dificuldades do candidato. O PS de António Costa, depois de se comprometer a apoiar a candidatura, acabou por dar liberdade de voto aos militantes que terão Maria de Belém como segunda escolha.

Estando a decorrer as negociações entre os partidos, estranho o timing que o PC seguiu para apresentar o seu candidato. Tenho dificuldades em perceber o momento escolhido para apresentar um candidato que poderia aparecer num outro qualquer momento porque o “seu destino” é apenas um: marcar o voto dos adeptos comunistas. O BE continua em silêncio, mas ficarei muito surpreendido se não apoiar Sampaio da Nóvoa.

Do outro lado da barricada o sempre candidato Marcelo avançou e seguiu uma estratégia tão própria que já conseguiu, com uma única jogada, derrotar duas pessoas: Pedro Passos Coelho e Rui Rio. [Read more…]

O Alexandre, a Mariana e António Nóvoa

sampaio_da_novoa_alfredo_cunha_2015

© Alfredo Cunha 2015

Laura Santos

“Não deixemos que a esperança também emigre”.

Apesar da falta de forças e dos azares da vida, quis estar presente na apresentação da Carta de Princípios de António Nóvoa (AN) no Teatro Rivoli do Porto. Nóvoa e o meu falecido Irmão Ademar tinham estreitado amizade nesse pós-25 de Abril “inteiro e limpo”. Eu acabara por ter o meu pequeno espaço dentro dessa amizade. Ademar falecera num 22 de Maio, a apresentação era a 25. Como não estar presente?
Primeiro problema: onde deixar o carro, vindos de Braga, pois eu e o marido decidíramos ir cedo para arranjar lugar no Teatro? Estacionámos, mas havia um problema com o parcómetro. Um arrumador perguntou delicadamente se podia ajudar. Pelo modo como se expressava, vi que não era como os arrumadores habituais. Disse-lho. Ele confirmou que outros já lhe tinham dito o mesmo. Perguntei o que lhe acontecera. De modo humilde e tentando esconder a tristeza, lá foi dando alguns pormenores. Tinha razoáveis habilitações académicas – indicou algumas -, mas há dois anos que não conseguia emprego. Já não tinha carro nem net, e o estado dos dentes da frente, para cuja recuperação não tinha dinheiro, também tinham sido um obstáculo à obtenção de emprego. Perdera a vergonha e tornara-se arrumador. Uma professora amiga dissera-lhe que vergonha era ficar de braços caídos. Ele sabia que era diferente dos outros arrumadores, mas sabia também que não era isso que lhe ia arranjar emprego. Percebi-o bem: a interminável construção civil à volta da nossa casa, dantes tão sossegada, e a falta de alternativas logísticas, mesmo para descanso de verão, agravaram a minha situação oncológica. Mas em que é que essa explicação me retira as dores e o perigo de vida? Seguimos as sugestões deste arrumador – só fixei um dos seus nomes, Alexandre – e sei que nunca mais o esquecerei. [Read more…]

Sampaio da Nóvoa a Presidente, e viva a República

Paula Rego The Last Feed

O Palácio de Belém precisa de uma desinfecção depois de habitado durante 10 anos por um político profissional inculto, serventuário e obediente às castas e donos de Portugal, salazarento nas atitudes e no desprezo pelos portugueses, eleito acidentalmente por uma minoria numas eleições onde a esquerda se esforçou no acumular de erros e asneiras, conduzindo a uma forte abstenção.

Precisa de lixívia, e demonstrando que nos serviu de aprendizagem não se poder entregar a presidência da República a quem nunca foi republicano, tanto na etimologia da res publica como na ética e nos princípios morais, exemplarmente demonstrados por Cavaco Silva quando perante um agente da PIDE capricha em bufar a sogra.

Para que todos os cantos da casa conspurcada pela pindérica Maria e seu chefe de família Aníbal sejam higienizados, a direita precisa de levar uma abada, o que pode muito bem começar por uma derrota na primeira volta das eleições. Até fica mais barato, e a arrogância de quem tem um canal a promover semanalmente o mentiroso mais bem pago de Portugal, merece uma humilhação. [Read more…]

Uma noite nos noticiários

11118624_810268302399892_1701897258165048260_o
É espantosa a lata de alguns comentadores e jornalistas. Garantem que a questão das presidenciais é prematura, mas deleitam-se em especulações, por vezes, delirantes, sobre o tema. A apresentação de Sampaio da Nóvoa, sobretudo, parece provocar-lhes uma certa urticária mental. Por uma lado, não se calam com o facto do candidato ser desconhecido. Por outro, acusam-no de apresentar a candidatura prematuramente com o objectivo – natural, digo eu – de se dar a conhecer a si e às suas propostas. Em que ficamos?
E já agora: não têm nada a dizer sobre umas eleições legislativas que por aí vêm? Ou estão felizes com a forma absolutamente canalha com que todos – sublinho: todos! – os canais de televisão e jornais vão, com a vossa ajuda, embalando os vossos concidadãos? Talvez seja muito esforço para as vossas cabeças – por receio de cansá-las ou, até, perdê-las – confrontar as muitas iniciativas e propostas que os vários partidos vão apresentando; e quando falo em vários partidos, gostava de sublinhar aqueles que existem para além dos do governo (conhecem?), com ideias muito diferentes, imaginem, daquela verborreia entre o imbecil e o terrorista com que os governopatas nos vai brindando (em que o esbulho de seiscentos milhões aos pensionistas, anunciado pela Maria Luís, é compensado com o patriótico orgulho de, quiçá por decisão governamental, termos a onda mais alta do mundo surfada por, ao que parece, Paulo Portas)?
Segundo li, a ciência mostra que – desculpem a dureza do exemplo – se colocarmos certos animais – uma rã, por exemplo – em água a ferver, o animal reage e faz uma tentativa desesperada para sair da armadilha. Mas se colocarmos o animal em água fria e aquecermos a água lentamente, o infeliz nela permanecerá, placidamente, até morrer.
Então, prezados concidadãos? Não estais a sentir-vos ligeiramente cozidos?
(foto de Uma Noite na Ópera, dos irmãos Marx)

A prova dos nove

Sampaio da Nóvoa faz o pleno: o Valupi também não gosta.

Sampaio da Nóvoa

sampaio novoa

O homem não podia pedir melhor: ainda vai em pré-candidato e já desencadeou o pânico: um boy alcoólatra, o gajo que não acabou a tradução do Capital e agora virou neoliberal, a extrema-direita do costume a berrar que nem banqueiros e latifundiários  nos idos de 1975.

Não faço, nem quero fazer, a mínima ideia de quem terá o meu voto nas presidenciais de  2016, mais que não seja contra o mentiroso mais bem pago de Portugal, que continua em plena campanha esforçando-se agora a TVI por demonstrar que pode escolher um Presidente, porque isto é tudo um espectáculo televisivo onde manda quem tem dinheiro. Mas tanto medinho vindo do lado da casta que nos tem governado é, para já, estimulante. Cliquei gosto na página do facebook, mais que não seja para chatear.

O horror e a demagogia de Sérgio Sousa Pinto

Não percebo como tanta gente anda tão incomodada com a entrada de Sampaio da Nóvoa na corrida presidencial. Principalmente quando a esmagadora maioria destas pessoas parece não ter dúvidas que o reitor não tem a mínima hipótese. Se ele é tão irrelevante como tanta gente diz, porquê tantos holofotes e enxovalho? Não se percebe.

O que também não se percebe é a violência da reacção do socialista Sérgio Sousa Pinto. Segundo o DN, o deputado foi arrasador com o candidato a Belém:

Não lhe basta a sublime virgindade de, em 60 anos, nunca se ter metido com partidos, de que fugiu como do tifo. Também parece que agradece a Deus a graça de ser pobre. Antes do partido dos mujiques que do movimento do Mujica. Assistimos com horror à demagogia venezuelana do PODEMOS e o fenómeno político latino-americano apareceu-nos pela porta traseira. Esta não é a minha esquerda

[Read more…]

Quando o Plutossocialismo Estrebucha

Camarada, estás cansado da Austeridade? Podes voltar à balbúrdia e à roda livre dos cheques amistosos dos Governos Socialistas, onde crescimento e emprego, emprego e crescimento nasciam como cogumelos ao estalar de um dedo. Basta nacionalizares o teu voto e sugerires às Esquerdas o que às Esquerdas incumbirá, assim que a Suprema Maçã Podre do Regime, sempre a maquinar conspirações, acabe de as federar para derrubar este Governo e talvez o próximo e o próximo, se, à vez, cada um dos próximos governos não agradarem ao Exmo. Plutossocialista Maçónico, papa de todos os Plutodemocratas.

Só gostava de perceber como é possível que amanhã Mário Soares, basicamente a Maçã Podre Suprema do Regime, consiga reunir na mesma sessão, na Aula Magna, as direcções do PS, PCP e Bloco de Esquerda e estas aceitem deixar-se federar-conspurcar numa espécie Peitaça Comum que funcionará como Espantalho das intenções e simpatias da Opinião Pública e como Repelente Fatal do voto útil ulterior numa alternativa a Bruxelas, a Berlim e às políticas que o BCE prescreve para o nosso carcinoma regimental corrupto e decadente, sob o obediente Governo de Salvação pós-PEC a que Passos-Gaspar presidem. [Read more…]