A brutalidade da PSP e o silêncio dos coniventes

Ao longo do meu percurso de vida desde a adolescência, sempre tive com a PSP uma relação de indiferença, distanciamento e de contido asco. Começou no final de tarde do dia 1 de Maio de 1962, mais precisamente. Eu e um colega de trabalho, ambos ‘teenagers’, descemos a Rua da Prata, em Lisboa, em direcção ao transporte e, de súbito, deparámo-nos com uma manifestação contra o regime salazarista, no Terreiro do Paço; a organização e a realização eram por nós ignoradas.

Sem que tivéssemos ensaiado quaisquer gestos ou brados, fomos inesperada e cobardemente agredidos por dois agentes da PSP. Pusemo-nos em fuga, um para cada lado. Todavia, o meu amigo E., soube depois, ao ser marcado por um jacto de tinta azul, lançado por uma viatura especial da PSP, acabou por ser detido e enviado para a Prisão de Caxias, cerca de 1 mês.

Com efeito, nesse dia, 1 de Maio de 1962, contraí uma espécie de virose vitalícia contra a PSP e quem a dirige. Desprezo-a sempre e, na minha vida pessoal, felizmente nunca necessitei dos seus préstimos, nem jamais tive problemas com semelhante gente, a não ser  duas ou três multas por estacionamento irregular; as quais paguei, naturalmente. [Read more…]

A verdade em primeira mão

O que aconteceu ontem no Chiado contado por quem lá esteve. E claro que não acredito na versão da polícia e me inclino para esta. O menino jesus é no natal.

Como a PSP conseguiu ir mais além que a CGTP…

Imaginem uma greve geral sem grande história. Ok, agora imaginem que a PSP resolve perder o controlo de uma situação banal. Ok, passou a ser uma greve geral sem história com muita história para contar. Como escreveu um amigo meu, só se espanta com a atitude da PSP quem nunca foi ao futebol. Uma tristeza.

Já hoje tinha escrito sobre a Greve Geral e o fiasco da CGTP. Nunca pensei ver a PSP fazer pela greve geral o que uma estrutura sindical não conseguiu. Enfim.

Mais imagens do Portugal democrático

Primeiros vídeos do serviço policial de hoje. Enquanto a fotografia já corre mundo (agredir uma jornalista ao serviço de uma agência internacional e ser fotografado por outro, é obra) começam a chegar os vídeos. Para quem choraminga com a imagem do país no estrangeiro, não quer confusões com a Grécia e outras pieguices, em dia de greve geral foi um serviço bem feito. Obrigado PSP, compensas largamente o que vai falhando no outro lado.

Ver mais imagens depois do corte [Read more…]

As multas por falta do cinto de segurança: a PSP preocupa-se com os portugueses


foto daqui

Acabo de ser aliviado de 120 euros que, há que confessá-lo, não me pesavam na carteira. Tudo porque não tinha posto o cinto de segurança no momento em que o agente da PSP me mandou parar o carro.
Não discuto a legalidade da coisa. É contra-ordenação, dá multa. Eu sabia, não pus o cinto, por isso é bem feito.
Só é pena que o agente se tenha cansado depressa de tão dura labuta. Tão depressa que eu fui o último a ser multado. Logo a seguir, atravessou a rua e foi conversar com o dono de um stand que estava mesmo em frente. Os restantes 5 agentes continuaram dentro da viatura.
Também tenho pena que a viatura da PSP tenha estado estacionada durante uma manhã inteira mesmo em cima de uma paragem dos STCP. E que os agentes de serviço não tenham reparado nos vários carros estacionados na passadeira e em cima do passeio.
Afinal, o que é um estacionamento na paragem de autocarro, na passadeira ou no passeio (30 euros) – pondo em causa a segurança dos peões – comparando com o grave crime que é não pôr o cinto de segurança? Algo que, no fim de contas, não prejudica ninguém a não ser o próprio em caso de acidente.
Mas percebe-se, 120 euros é muito mais do que 30 e não é por acaso que as multas em 2011 subiram 80% em relação a 2010. O país está em crise e se calhar esse aumento de receita até estava prevista no Memorando da Troika.
Seja como for, é bom saber que os senhores agentes da PSP se preocupam com a nossa segurança e que saem do quentinho da Esquadra, a um Sábado de manhã, unicamente para verificar se os condutores puseram o cinto de segurança.

A PSP, o facebook e a censura, ou de como esta gente odeia críticas e quer mesmo um Salazar de volta

Afinal a PSP não viu a sua página no facebook assaltada, como ironicamente aqui contei. A PSP é mesmo fiel ao seu passado de polícia salazarista, seu pai verdadeiro. Nada que seja de espantar mas que vem ao de cimo quando tem no poder gente com a mesma vontade, agora disfarçada de liberalismo.

Sendo causa para lembrar a velha máxima anarquista quem nos protege dos nossos protectores, coloco aqui os comentários no mural da PSP antes de almoço, e depois de almoço, quando ao mesmo tempo que apagavam escreviam isto:

A PSP agradece todos os comentários que, ao longo da manhã, foram feitos na sua página oficial. Com isso não só garantimos o diálogo que se pretende promover nas redes sociais como aumentámos ainda mais o número de seguidores. Ficou no entanto a dúvida sobre o motivo da Imagem: “eles falam, falam…” e nesse sentido justifica-se que o único propósito da imagem foi apenas garantir que o princípio do respeito é mantido nesta rede social. A PSP tem mais de 16.000 seguidores, com várias faixas etárias, dos 16 aos 80 anos de idade e temos verificado, nas últimas semanas, a utilização recorrente de vernáculo e linguagem desapropriada que, não querendo eliminar por respeitarmos todos os comentários, achámos ser altura de repudiar. Não estamos contra as opiniões, nem contra as pessoas, estamos sim contra, nestes fóruns, o uso de linguagem desapropriada com que são feitos alguns comentários. Respeitamos nessa medida, quem nos respeita!

Descubram as diferenças, e encontrem o vernáculo:

[Read more…]

Página no Facebook da PSP assaltada por pirata salazarista

Debaixo desta bela imagem escreveram:

Diariamente lemos crónicas interessantes, desabafos contundentes, opiniões inflamadas contra a PSP, contra “agentes infiltrados”, contra contradições e todos sob o mesmo mote: Todos são suficientemente conhecedores desta realidade para opinarem, para monitorizarem o trabalho policial, para dizerem o que se deve e não deve fazer. É fácil criticar, é simples escrever sobre preconceitos, difícil é passar pelos problemas e resolvê-los! No fim do dia, quando regressarem a casa, os outros, os “suspeitos do costume” estarão ao seu lado para o proteger, com as cores do costume, com a farda do costume e com a disponibilidade que lhes reconhecemos! Eles falam, falam, mas na hora do aperto, A TODAS AS HORAS, são sempre os mesmos a avançar! Consigo desde 1867, todos os dias!

Tirando o dislate de a PSP não ter sido criada em 1867 (a Polícia Cívica monárquica foi emprateleirada pela República que criou a GNR. mas naturalmente quem cometeu este atentado não percebe nada de História) esta defesa do papel da PSP ao longo de 48 anos de ditadura é obviamente obra de quem tenta denegrir a imagem da instituição. Não se tratando de um agente infiltrado do mundo do crime só pode ter sido obra de “piratas informáticos”, como usam escrever os jornais.

Há indícios de que a PSP pode ter retomado o controlo da sua página, uma vez que tem apagado vários comentários, mas ainda não conseguiu eliminar o ultraje original. Aguarda-se a todo o momento uma conferência de imprensa de Miguel Macedo.

A PSP faz a festa, lança os foguetes e recolhe as canas

(A prova de que os provocadores já tinham actuado em Outubro)

Dúvidas? Já não há.

Polícias secos contra polícias enxugados

“Os dois cidadãos que surgem identificados na primeira fotografia são elementos policiais pertencentes à estrutura de investigação criminal da PSP, os quais estão integrados no policiamento que foi desencadeado por ocasião das manifestações sociais de 24NOV11.A sua missão neste tipo de contexto será o de garantir que o exercício do direito de manifestação por parte dos cidadãos faz-se de forma livre, sem quaisquer perturbações de elementos estranhos às organizações que as promovem, impedindo o cometimento de ilícitos criminais, preservando a segurança de todos os intervenientes. A fotografia surge no contexto da necessidade de reposição da ordem pública por parte do Corpo de Intervenção da PSP, no qual os próprios elementos policiais acabam por ser alvos da intervenção dos seus colegas, situação esta que é frequente (ex: policiamentos de futebol).”

Direcção Nacional da PSP ao JN

Polícias muito mentirosas

O Ministério Público esclareceu esta segunda-feira que o cidadão alemão detido na [Read more…]

Carta aberta ao Director Nacional da PSP

Exmo Sr Director Guedes da Silva:

Gostaria antes de mais e na sequência da notícia em anexo de inquirir sobre o estado de saúde do polícia (ainda não identificado, pelo que desde já as desculpas de tão impessoal voto) ferido no passado dia 24. Estamos todos muito preocupados, e achamos grave a agressão ao polícia ferido no cumprimento das suas ordens, ainda que achemos as mesmas de um cariz ainda bastante pouco claro.

Mas temos boas notícias, que são imagens claras e indiscutíveis do agressor, na pessoa de um seu colega, também ainda não identificado. Por ele, e por todos os que foram feridos e violentados no passado dia 24, lembramos do compromisso constitucional que vos rege, o de justiça e de serviço ao povo português. Em nome dessa transparência, agradeço então rigor nesse processo, e pode contar comigo enquanto cidadão informado, cooperante com a reposição de justiça, e do juramento nobre que fez: o de servir e proteger o povo. [Read more…]

A provocação

Nos finais do dia da Greve Geral houve uns incidentes em S. Bento. Nada do outro mundo: manifestação, escaramuças com a polícia, um pouco de sangue e emoção para a abertura dos telejornais. Mas com uma novidade nacional: nesta fotografia vemos dois manifestantes a furar o cordão policial, não vemos?

Não, não vemos. A PSP infiltrou agentes entre os manifestantes, o que parecendo que não dá jeito quando não acontece nada e fazem falta incidentes que ofusquem uma greve geral.

Não vou ter a ingenuidade de atribuir toda a confusão a estes senhores (sei o que é uma manif e como nos tempos que correm são inflamáveis). Mas alguém tinha de acender o fósforo. [Read more…]

Ainda o leak do Lulzsec Portugal à PSP

Afinal tudo se passou no sábado, a notícia é que só saiu hoje. Hilariante é isto:

A PSP garantiu esta terça-feira que “não tem registo de qualquer intrusão no seu site externo ou na rede de informações/procedimentos policiais”, numa nota publicada no Facebook, reagindo à divulgação de uma lista contactos de 107 polícias de Chelas.

Na mesma nota, a Polícia de Segurança Pública reconhece que “existem tentativas externas de intromissão no site institucional” da força policial, “que não surtiram efeito até ao momento”.

É que basta seguir o tuíte, a menos que o documento tenha sido uma prenda de natal.

A democracia quando nasce não é para todos

Terminou a campanha eleitoral: a polícia destruiu o acampamento no Rossio, espancou e efectou 3 detenções. Roubo de material de som e máquinas fotográficas. Presença da Polícia Municipal de António Costa.

O PS despede-se do poder assegurando à direita que sabe manter as ruas limpas de protestos, ou seja, evitar conflitos sociais. Deixem-nos ficar com uma pastazinha no governo, deixem… imploram a Passos Coelho.

Diz-se esta gente de esquerda.  Não passam de capachos da direita. António Costa, não passas de um Sócrates II. Ao mesmo baixo nível.

Passos Coelho e a Democracia

 

Ao longo destes anos de Democracia têm-se conhecido os mais variados tipos de políticos e têm-se assistido aos mais variados dislates. Nem vale a pena fazer-se o rol das asneiras – dava um livro! – basta recordar, a título de exemplo divertido, o expressivo “bardamerda” do defunto almirante Pinheiro de Azevedo e o discurso de tomada de posse do Pedro Santana Lopes. Foram momentos de enorme gozo e hilariedade. Houve – e há – nesta matéria de políticos, um pouco de tudo. Uns mais fleumáticos, outros mais emotivos, até mesmo coléricos. Todavia, no meio de tantas personalidades e de tão distintas idiossincrasias, não creio ter havido – pelo mesmo que me lembre – nada de comparável ao desastrado Pedro Passos Coelho. A sucessão de erros e equívocos são contínuos e exemplares. Nunca, em tão pouco tempo, um político se desacreditou tanto. Ainda ontem, informado Francisco Louçã sobre a surpreendente posição do líder do PSD acerca da IVG, reagia este, irónico, à comunicação social: “Ai o Dr. Passos Coelho disse isso esta manhã?! Então à tarde já muda de ideias!”. E foi. À tarde já o líder do PSD amansava a posição sobre um referendo e suavizava o motivo de ter abordado o assunto, desculpando-se com o facto de uma entrevistadora lho ter perguntado. E ele, na modéstia das suas próprias palavras “que é um homem de enorme franqueza”, lhe ter confessado o que pensava. Ignorando-lhe a sinceridade o facto de estar a responder aos seráficos microfones da Rádio Renascença… e pelas razões que toda a gente percebeu. Entretanto, à noite, não fora o dia suficientemente conturbado, pegou-se-lhe outra vez a asneira à franqueza e vá de desancar no Pacheco Pereira acusando-o de “semanalmente fazer campanha contra o partido”. O que até nem é de todo mentira, só que confunde o partido com ele próprio e não era a ocasião indicada de o dizer. O que lhe vale, para já, por parte do Pacheco ofendido o epíteto de… “caluniador”. Já hoje, depois dos incidentes ocorridos num comício do PS de ontem à noite, incidentes esses que contaram com a presença de elementos ligados ao PSD como foi noticiado pela TVI, em vez de se demarcar claramente do ocorrido condenando de forma inequívoca comportamentos atentatórios da liberdade de reunião e de expressão, limitou-se ao sacudir a água do capote num simples “lamentar o sucedido”. Mais! Ainda veio implicitamente verberar o comportamento policial, tentando adoçar as provocações e o comportamento dos provocadores, travestindo-os em “manifestantes”, coitadinhos, vítimas do excesso de zelo policial. Será que Passos Coelho nunca ouviu falar em ordem democrática? Ou, tendo ouvido falar, não sabe o que esse conceito significa? Terá saltado para a história directamente do 24 de Abril? Assim não vai lá. Era o que (nos) faltava!

PSP detém traficantes de droga na PSP

A notícia é seca e curta: a PSP deteve cinco elementos da PSP por posse e tráfico de droga. Além de prometer uma conferência de imprensa para as 15 horas, a notícia pouco mais acrescenta, além de que dois deles são oficiais e que todos trabalham na zona de Lisboa/Estoril. Diz ainda que mais detenções podem ocorrer nas próximas horas.

Faltam pormenores a esta notícia, nomeadamente os tipos de droga traficados e respectivas quantidades. Mas falta também esclarecer a sua origem. Os srs. polícias  compravam a droga para a revender, ou tratava-se de droga apreendida, eventualmente a pequenos traficantes, e colocada a seguir nas ruas? E como se processava o negócio? Estaremos perante uma associação criminosa de polícias? Era bom que a PSP, na conferência de imprensa, fosse transparente sobre estes… PSP.

Esta malta anda a fumar erva da boa

Prisioneiro que queira fazer uma greve de fome tem de preencher um formulário.

Guardas da PSP recebem louvores pelos seus dotes na criação de centros de mesa, ou pelo apuro das suas sobremesas.

O Público online parece o Jornal do Incrível? O Inimigo Público assaltou a redacção?

Ou o país ensandeceu. Vou mais por esta hipótese.

Botas com Biqueiras de Aço, por Causa de Uma Segurança Insegura

GNR, PSP E PJ SEM DINHEIRO
.
Diz-se por aí à boca cheia que no nosso País a segurança é muito insegura, que antigamente é que era, que agora há medo de sair à noite, que não se vêm polícias na rua, que a GNR, a PSP e a PJ nada fazem para nos ajudar, etc., etc., etc..
De facto tudo isto é verdade, ou pelo menos parece verdade.
O dinheiro para o pão, para a educação, para a saúde e para segurança, que em primeira análise deveria ser assegurado pelo Estado, foi durante anos e anos esbanjado por ele, e agora não há.
Bem, não há, é uma forma de dizer. Haver há, [Read more…]

A Pide de Segurança Pública

Fiquei hoje a saber pelo DN que a base de dados da PSP inclui campos para registar a “origem étnica, comportamento da vida privada, fé religiosa, convicções políticas, filiações partidárias ou sindicais” de cada cidadão. A CNPD é contra, o comando da PSP não quer saber.

A existência de um campo sobre a pertença à maçonaria talvez levasse o Ministro da Administração Interna a tomar as medidas que se impõem.

Assim não sendo, resta a todos os portugueses que têm convicções políticas, filiação partidária ou sindical, ou muito simplesmente ainda distinguem democracia de ditadura, actuar em conformidade, mais que não seja através do voto.

Ou ficamos à espera que o voto desapareça dos nossos direitos?

Contos Proibidos: Memórias de um PS Desconhecido. Da reunião de Caracas da Internacional Socialista à fusão do PSP com o PSOE


Carlos Andrés Perez, Presidente da Internacional Socialista em 1976

continuação daqui

«Atento à evolução política na Península Ibérica, o Presidente da República da Venezuela, Carlos Andrés Perez, cujo partido, Accion Democrática, era observador da Internacional Socialista, percebeu que a «Revolução Portuguesa» e a evolução democrática em Espanha iriam ter enorme impacto na América Latina, onde ele, chefe de Estado de um país produtor de petróleo, pretendia ter um papel de relevo. O presidente venezuelano, que tinha sido eleito em 1974, acompanhava de perto a crescente importância da Internacional Socialista e, como tal, desenvolveu todos os esforços para reunir em Caracas uma cimeira semelhante à que acabara de ocorrer em Portugal. Mas, enquanto em Portugal a iniciativa partira de Olof Palme, a ideia da reunião de Caracas partira de Klaus Lindenberg, representante da Fundação Friedrich Ebert naquele país. Esta fundação já na altura investia consideráveis meios naquele subcontinente e tinha escritórios e representantes alemães em quase todas as capitais latino-americanas. [Read more…]

A PSP e a Greve Geral, estamos entendidos

Depois dos intensos treinos na Cimeira da Nato, a PSP intervém na defesa da ilegalidade (uma empresa não pode contratar trabalhadores externos para furar uma greve) e contra o piquete de greve nos CTT de Cabo Ruivo.

O blindado smiley vem já a seguir.

É de mim ou o novo blindado tem smileys?

Ali mesmo à frente. Estão a ver? Olhem melhor. O amarelo ajuda a encontrar. São duas rodas bem amarelas que chamam a atenção por entre tanto azul.

É o novo blindado da PSP, que chegou para a próxima cimeira da Nato em Portugal.

Não há que enganar. Olhem agora para a configuração. Com atenção. Vêem smileys não é?

Eu, pelo menos, vi. Andei à procura de mais detalhes e descobri que dizem KC em cima e Daylighter em baixo. Afinal não são smileys, mas que parecem lá isso não há dúvidas. Mas deve ser apenas uma coincidência.

Na PSP há criminosos à solta: quem os prende? quem pára Rui Pereira?

São casos a mais em tão pouco tempo. O último inclui um gravíssimo atentado à liberdade de imprensa e pode ser lido no tvi24.

Tenho plena consciência que a polícia de hoje não é a da minha infância. Sou amigo de gente que trabalha ali como poderia ter escolhido outra profissão. O que se está a passar é um reflexo da crise: os polícias também são assalariados, vivendo em condições miseráveis principalmente nas grandes cidades, e que são treinados para deixarem de ser homens, como os soldados que todos já foram.

Esta estratégia de espevitar o pior que há dentro de cada um deles, como dentro de nós existe escondido, de soltar a fera fascista, tem de ter responsáveis, dentro da hierarquia, mas sobretudo tem um: o ministro que a tutela.

Tudo leva a crer que Rui Pereira deu ordens para soltar os bichos, para amansar as feras. O pânico pela violência social que vem já a seguir explica tudo. E justifica essa mesma Grécia que cresce dentro de nós.

Morte que mataste lira

A PSP está em elevado grau de alerta e prevê retaliações violentas contra os seus agentes, na sequência da morte do rapper MC Snake, na passada segunda-feira. A revolta de grupos de bairros problemáticos está prevista para este fim-de-semana e todos os agentes são aconselhados a usar coletes à prova de bala. [Read more…]

PSP concentrada no funeral, porrada às portas do estádio

É uma especulação como qualquer outra, mas aparentemente a PSP de Lisboa, em pânico com o funeral de MC Snake, assassinado por um dos seus agentes, destapou os pés, neste caso as claques do Atlético de Madrid. Neste momento os relatos falam de uma verdadeira batalha campal às portas de Alvalade.

Em matéria de segurança primeiro trata-se dos pretos, resultado: lixaram-se com os brancos.

Mc Snake não volta a cantar, e a polícia vai continuar a matar? (2)

A TVI24 recolheu junto de uma fonte policial um depoimento sobre o procedimento habitual num caso de fuga a uma operação stop:

Nos casos de fuga a uma operação policial, o procedimento habitual é o de recolher de imediato as características do veículo, a matrícula e enviar a informação à central que depois emite às restantes patrulhas, de modo a que o suspeito em fuga possa ser interceptado noutro local ou para que o caso passe para as brigadas de investigação criminal. «As perseguições acontecem quando existem mandatos de captura ou existe perigo para a vida dos agentes ou de terceiros», explicou a mesma fonte.

A mesma fonte chega a afirmar que o agente autor dos disparos pode ter agido para «mostrar serviço» já que, espante-se quem não conhece os processos de avaliação da função pública, «isso tem valor para a avaliação e para a progressão na carreira».

Dos comentários ao que já aqui escrevi retiro este testemunho de um leitor:

Moro em S. Domingos de Benfica e essa noite estava acordado.
Não vi, mas ouvi os disparos. Sim eu disse disparos no plural porque não foi nem um nem três tiros que o agente disparou contra o alegado grande criminoso, pelo menos nos olhos deste grande agente policial com queda para juiz de rua.
Nessa noite comecei por ouvir dois tiros seguidos e nem tinha passado três segundos, quando são disparados mais e desta vez não foram apenas dois. Bem, eu não sei quantas munições tem uma arma da psp mas leva-me a crer que este agente regressou á esquadra sem elas.

Faltam 418 dias para o Fim do Mundo

A polícia mandou parar uma viatura. O condutor não parou. A perseguição acabou com um morto. Desta vez não era mais um simples desconhecido. A bronca está instalada.

O país está falido. O governo tinha que procurar obter receitas. A vítima é a classe baixa e média baixa. É Portugal no seu melhor. Isso e os prémios da PT. É fartar vilanagem…

Em Portugal perdem-se actas como quem perde um isqueiro. E ficam leis por regulamentar. É a velha incompetência lusa em acção.

A crise não é culpa da banca nem dos especuladores. É dos hippies. Da Geração Rasca, passando pela À Rasca e terminando na Zero…Para relembrar outras gerações à rasca, toca a não perder pitada do The Pacific.

Assim vai o nosso Mundo…

MC Snake não volta a cantar, e a PSP vai continuar a matar?

Nuno Rodrigues, aka Mc Snake, foi atingido por um disparo da PSP na sequência de uma perseguição no mínimo mal esclarecida.

O vocalista convidado deste  Navegantes de Sam The Kid não volta a cantar. A pergunta é: a PSP voltará a assassinar (disparar sobre um veículo mesmo que em fuga não havendo uma situação de perigo para terceiros em Portugal é homicídio) acidentalmente, ou está mesmo a comprar uma guerra social?

É que se estiver até pode comprar barato, mas vai-lhe custar muito caro.

Actualização: Nem armas, nem drogas, nada foi encontrado no automóvel, um velho chaço que não precisava de ser travado a tiro. O autor do disparo foi constituído arguido, mas continua em funções. Ao menos tiraram-lhe a arma?

O Homem Que Mordeu O Cão

.

A NOTÍCIA

.

Não é ofensa, o título desta crónica. Longe de mim chamar cão ao agente da autoridade. Mas, neste caso a notícia está, não na resistência do condutor à prisão, nem o facto de o agente da autoridade entender que o deveria deter. A notícia, verdadeira e bizarra, está na forma como o homem, alcoolizado, resistiu à detenção. O individuo mordeu a perna do polícia.

Parece que o malandro, já tinha tido actuações idênticas noutros encontros com as autoridades.

Como aparte à notícia, soube-se que a mordidela foi de tal forma que o agente da PSP, teve de ser tratado no hospital.

Ele há cada um!

.