Rotinas

coelho gaspar

Oh Vitinho então tu foste dizer que íamos beneficiar dos mesmos benefícios que a Grécia sem teres consultado o teu chefe alemão?!
– Oh Pedro desculpa, saiu-me aquilo. Mas não há problema. Agora digo outra coisa. O pessoal já está habituado.

Américo Mascarenhas no Facebook

Miguel Relvas tem toda a razão

Miguel Relvas tem carradas de razão. Depois, chegou a ministro. Folgazão como é, não me espantaria que mostrasse este vídeo aos amigos e dissesse, sufocado de riso: “Ó pá, as coisas que um gajo diz para ganhar eleições!”

Vídeo do Ministério da Verdade

Pedro Passos Coelho, o «best of» um ano depois


Há cerca de um ano, compilei cerca de 10 minutos de mentiras de Pedro Passos Coelho enquanto líder do PSD na Oposição. Um ano depois, este filme – que já foi visualizado quase 250 mil vezes e conta com mais de 500 comentários – continua extremamente actual. Infelizmente, o primeiro-ministro não pára de nos surpreender (ou não), sendo que acredito que não vai ficar por aqui. Enquanto o deixarem, ele vai continuar.
Para recordar, o «best of» de Pedro Passos Coelho…

Passos Coelho em castelhano

Isto é nojento, Passos Coelho. Andam a plagiar-te. Processa-os. Cobra direitos de autor ou exige Olivença de volta. Não deve chegar para salvar a economia portuguesa, o Gaspar não deixa, mas sempre é uma ajuda na balança económica.

Sê empreendedor: regista a patente, empacota, embrulha e exporta. A indústria da mentira espera por ti.

Acordo Ortográfico: o homem da minha vida

Sempre e ainda em busca desse El Dorado que é a uniformização ortográfica alegadamente trazida pelo chamado acordo ortográfico (AO90), descubro, sem perder tempo, um texto brasileiro sobre um livro do enorme Manuel Vásquez Montalbán, El hombre de mi vida. Leiam, por favor:

[Read more…]

Acordo Ortográfico: foi você que pediu uma gramática única?

Diz um conhecido aforismo que “uma mentira repetida muitas vezes passa a ser verdade”. Os defensores do chamado acordo ortográfico (AO90), usando de um entusiasmo cabotino, gritam aos quatro ventos que, agora, portugueses e brasileiros podem escrever textos conjuntos, iguaizinhos, mais parecidos que gotas de água: enquanto Jesus multiplicou os peixes, os profetas do AO90 proclamam ter reduzido as ortografias a uma una e única. [Read more…]

Era uma vez um primeiro-ministro em dois episódios

[Read more…]

Passos mente, Coelho também

Estar desempregado não pode ser um sinal negativo tem derepresentar também uma oportunidade

Sobre a nacional-mitologia do empreendorismo, ler Empreendedorismo em Portugal – as mentiras e os factos seguido de Passos Coelho e o desemprego: ignorância ou mentira deliberada?

Visto vagarosamente, o lapso do ministro é uma mentira

 Santana Castilho *

Por ironia do destino, a 1 de Abril de 2011, o dia das mentiras, Passos Coelho classificou de “total disparate” a ideia que lhe atribuíam de cortar o subsídio de Natal. Cortou-o, pouco tempo volvido. A 13 de Outubro deste ano, reincidiu e aumentou o esbulho. Consciente da brutalidade da medida, foi pressuroso a afirmar que ela vigoraria “apenas durante a vigência do programa de ajuda económica e financeira”. Nem ele nem Vítor Gaspar, nem tão-pouco o diligente “spin doctor” Miguel Relvas, desmentiram a cascata de referências abundantes, escritas e faladas, que circunscreveram, sempre, os cortes dos subsídios de férias e Natal a 2012 e 2013. Mais: a secretária de Estado do Tesouro, o ministro-adjunto e dos Assuntos Parlamentares e o próprio ministro das Finanças afirmaram na televisão, de forma reiterada portanto, que os cortes eram temporários e vigoravam apenas em 2012 e 2013. O descrito é factual. Prolongar agora o confisco por mais tempo não pode ser justificado, ainda que vagarosamente e com a insolência com que Vítor Gaspar tratou a Assembleia da República, com a invocação de um lapso. [Read more…]

Recordes e mentiras

Batemos todos os dias recordes de culpa, de medo e vergonha. Sentimentos de culpa inculcados por responsáveis sem vergonha, que continuam a repetir a ladainha de que “os portugueses viveram acima das suas possibilidades” e de que somos os culpados de todos os males que nos afligem. (…) Como é possível que tantos continuem a acreditar nas mentiras de tão poucos, que tantos continuem dispostos a vender os seus primogénitos para enriquecer os mais ricos dos ricos?

A ler, com urgência, o José Vítor Malheiros.

Quanto tempo iam durar os cortes nos salários e pensões?

A política como a arte de mentir. Passos Coelho e Vítor Gaspar asseguram que os cortes nos salários da função pública (não lhes chamem subsídios que os salários medem-se ao ano) e nas pensões de reforma durariam até ao final do memorando. Miguel Relvas já treme um pouco. A realidade desmente muito mais.

O novo cargo “MR” (Moço de Recados) substitui o antigo cargo “PM” (Primeiro-Ministro)

Por FRANCISCO GOMES

Senhor Passos Coelho:
1º. FALSAS PROMESSAS -Fazer uma campanha com determinadas promessas e governar de forma contraria, deveria constituir crime (fraude e burla) e os politicos julgados e condenados por isso, pois se estivesse escrito no seu programa que ia criar uma politica de destruição da qualidade de vida dos portugueses e levá-los à pobreza NUNCA ganharia as eleições (LEIA e RELEIA tudo o que disse na sua campanha !!!!)
2º. CEGUEIRA E SURDEZ E ARROGANCIA – porque tem a latade achar que está a fazer um grande trabalho e não deve ter espelho em casa para ver a vergonha de governação que está a fazer.
3º. COBARDIA  – quando não se assume a responsabilidade do que se esta a fazer e constantemente se atribui a culpa aos outros e ainda diz que nada tem a ver com isso, esquece que o seu partido com Cavaco, Durão, Santana e mais não sei quem e que tantos anos governaram têm grandes responsabilidades nesta desgraça que voces politicos fizeram e continuam a fazer e que muitos dos seus colegas e/ou amigos do seu partido estão milionários e impunes depois da gestão danosa dos dinheiros publicos e dos cargos publicos que desempenharam.  [Read more…]

Mais umas mentiras sobre a Grécia

Circula por mail, já foi várias vezes republicado, é da autoria de Henrique Raposo, traduzindo do pasquim El Mundo, e não passa de um peça de propaganda dos rapazes que se preparam para a destruir o estado e a economia deste cantinho da Europa.

Começa assim:

Em 1930, um lago na Grécia secou, mas, o Estado Social grego acha que tem de existir um Instituto para a Protecção do Lago Kopais – o nome do tal lago que secou em 1930, mas que em 2011 ainda tem dezenas de funcionários dedicados à sua conservação. Calculo que estes Bem, funcionários devem estar a rua a gritar “abaixo o fascismo”.

Em primeiro lugar o Lago Copaís não secou, foi drenado primeiro por franceses e depois por ingleses, que só devolveram esta fértil região à Grécia em 1952. Em segundo lugar é uma zona arqueológica. E deve precisar de ser protegida, a zona, precisamente pelo seu valor arqueológico e económico. Se o Instituto é superfúlo? não sei, mas anedótico como é apresentado não parece.

A cantilena continua, e de resto a seu tempo andaram pela Grécia empregados de televisões a desenterrar as mesmas tretas: pensões vitalícias para filhas solteiras (será preciso muito para perceber de onde vem a ideia? é muito difícil o contexto histórico da protecção a mulheres órfãs?). Mas a melhor ainda é esta:

Querem mais? Num hospital público, existe um jardim com quatro (4) arbustos. Ora, para cuidar desses arbustos o hospital contratou quarenta e cinco (45) jardineiros.

Também achei estranho, e fui ver:

[Read more…]

Barragens e idiotas

O duo de governantes – José Sócrates e Pedro Silva Pereira – mais incompetente da democracia portuguesa (junte-se-lhes o Pinho e passa a trio, acrescente-se o Silva, o Lino, a Rodrigues e chame-se-lhe orquestra) deixou no país marcas perenes da sua idiotice e teimosia militantes.

Para além das dificuldades económicas que só agora os portugueses começam a perceber, o legado destes senhores é assombrosamente negro, apesar de todos os avisos vindos de algumas opiniões minoritárias mais esclarecidas, apesar dos estudos, apesar do bom-senso, apesar, finalmente, da crueza dos números. Vândalos e inimputáveis, chamou-lhes justamente  o Dario Silva.

Muita água deixará de correr debaixo das pontes até se avaliarem todas as consequências das decisões e mentiras desta gente.

Mas foram estes os únicos e os verdadeiros idiotas? Só se, paternalisticamente, acharmos que todo o país é apenas vítima passiva de malabaristas que actuaram furtivamente na insondabilidade das sombras.

Os idiotas que mantiveram estes idiotas seis anos no poder, os idiotas que os reconfirmaram na direcção do PS, não lhes ficam atrás em idiotia, muito antes pelo contrário. Foram precisos muitos idiotas úteis para eleger um idiota inútil.

solidariedade

aolidariedade

Bem queria eu aditar música a este ensaio, mas a máquina que uso não o permite. Pelo que experimento.

Experimento para agradecer o grande número de pessoas que me têm apoiado na escrita informática, especialmente a empresa que colabora comigo, que não vou referir por causa de propaganda, de todos eles, não resisto agradecer a quem tem a paciência de aparecer na minha casa para tratar das avarias que vão acontecendo no meu computador, Ricardo Fernandes. Como essa doce senhora que acompanha estes dissabores e ri às gargalhadas com os meus acidentes informáticos, por pura simpatia e solidariedade, como Carlos Loures, escritor e editor das minhas obras e que se ofereceu, enquanto o meu computador é tratado, a ser o meu correio e a publicar os meus textos no nosso Estrolabio e Aventar.

[Read more…]

Não dizer mentiras

O Zé cantaa primeira regra é não dizer mentirasmashup dos Bandex no seu novo êxito, Mentiras, um vídeo romântico com o último primeiro-ministro de Portugal.

José Sócrates e orquestra.

Sócrates canta balada no encerramento do congresso do PS

Canta, a sério, e encanta José Sócrates:

não dizer mentiras a primeira regra é não dizer mentiras deve haver regras o que o senhor disse foi uma mentira e depois faz-se de vítima

Ouçam, tem orquestra e tudo.

Desconhecia este projecto,  e projecto continuar a gostar. Bandex. Munta bom. Amanhã há mais.

As mentiras (ia quase dizer as burlas) da D-Mail, a empresa das ideias que não funcionam e que não servem para nada


Ali, na D-Mail, há de tudo. Desde um porta-chaves para distraídos, que faz bip-bip quando o dono assobia; passando por um rato para o computador em forma de Fiat 500 (os faróis acendem-se enquanto navegamos na internet); até uma caneta que é ao mesmo tempo um levanta-cutículas, um bisturi e uma lima. É possível passar umas boas horas a rir com o catálogo que alguém nos enfia, mesmo com o autocolante da correspondência não endereçada, na caixa do correio. É de rir e, naquele momento, a pergunta que nos ocorre é sempre a mesma: será que alguém compra isto? [Read more…]

heresia, direito de Saramago, Ratzinger e candidatos

a corrida à Presidência da República, com mentiras, é uma heresia

Estamos em tempos de corrida à Presidência da República. Cada candidato fala bem de si e diz a piores coisas dos outros. Vivem em heresia. Cavaco acusa a Alegre de ser marxista, como se for pecado, Alegre riposta que por Santo, cavaqueou com as acções do BPN a 1€ cada e as vendeu ao 1.800€, ele e o seu filho. Nobre diz que a tirania da Madeira chega ao seu fim, enquanto Lopes diz que o povo tem sido traído pelos seus candidatos que prometem um assunto e, no poder, fazem como entendem, especialmente realizam actos de vil baixeza para ganhar dinheiro, criar um lucro e, especialmente à Alegre de ser mentiroso.

Estamos em um país de hereges. Saibamos, pois, qual é o conteúdo do que falam os candidatos, porque os seus discursos estão em todos os jornais e em toda informação televisiva. Entender porque se acusam uns aos outros, é simples: todos querem ganhar. Apesar de um deles estar em maus lençóis: ensina na Universidade Nova e Católica de Lisboa. [Read more…]

Pisa: Mentiras, perplexidades e factos

Por SANTANA CASTILHO

Assentou a poeira e desfez-se a espuma dos dias. É tempo de analisar as mentiras, recordar os factos e partilhar perplexidades.

Andreas Schleicher, director do PISA, é claro quando diz ao que o programa veio: medir quanto “value for money” (conceito económico que exprime a utilidade do dinheiro despendido) resulta dos sistemas de ensino em análise. O PISA não se ocupa de determinar e comparar todo o conhecimento que deriva dos vários domínios curriculares. O PISA centra-se na capacidade para resolver problemas básicos, detida por jovens com idades compreendidas entre os 15 anos e quatro meses e os 16 anos e quatro meses. Sendo de inegável utilidade, este quadro é redutor porque deixa de fora valências humanistas e culturais dos sistemas de ensino. Merece alguma reflexão ver democracias líderes do desenvolvimento tecnológico e científico mundial (Alemanha, França, Reino Unido e USA) remetidas para posições modestas no PISA, enquanto um sistema ditatorial se guinda ao primeiro lugar do ranking (Xangai).

Com a ressalva supra, é incontestável a importância de todo o manancial de informação que o PISA proporciona. Mas a contrapartida para esse benefício está a tornar-se perniciosa: nas orientações que dele emanam têm vindo a ser aceites com uma preocupante atitude reverencial. Os resultados obtidos pelos estudantes portugueses em 2009 melhoraram muito e isso é bom. Mas onde estamos? No último terço da tabela dos 33 países da OCDE. Abaixo da média em todos os domínios considerados (489 pontos em leitura, 487 em Matemática e 493 em ciências, para médias da OCDE de 493, 496 e 501, respectivamente). E tudo isto por referência a 698 pontos possíveis. Cerca de 19 por cento dos nossos estudantes não souberam justificar por que devem lavar a língua quando lavam os dentes, sendo certo que a resposta estava contida no texto do teste; 23,7 por cento não souberam fazer uma simples conversão cambial; e nas ciências, 16,5 por cento não responderam a uma pergunta de nível 1, o mais baixo dos 6 cotados. Justifica isto a histeria de Sócrates e dos cronistas do regime e a recuperação de defuntos políticos? A propaganda lida mal com os factos. Mas eles existem. Continuemos a recordá-los. [Read more…]

Sócrates já mentiu 14.802.375 vezes desde que foi eleito

Desde que tomou posse pela primeira vez, em 12 de Março de 2005, José Sócrates terá mentido perto de 15 milhões de vezes.
As contas são fáceis de fazer. À razão de 5 mentiras por minuto (mesmo quando está a dormir), temos 300 mentiras por hora e 7200 mentiras por dia. Ao fim de um ano, são 2 680 000 as mentiras contas. Ao fim de 5 anos e meio, bom, é fazer as contas.
Estes números não contabilizam a entrevista de hoje à TVI (a primeira desde que conseguiu livrar-se de Moniz e Manuela), porque o sistema de contagem de mentiras do Aventar simplesmente não aguentou.

As mentiras de Luis Capucha

Luis Capucha é o actual responsável pela Agência Nacional para a Qualificação, e deu uma entrevista ao Público de hoje. Começa por afirmar:

Surgem críticas, mentiras e afirmações de quem não quer mentir mas fala do que não sabe. Surgem críticas, mentiras e afirmações de quem não quer mentir mas fala do que não sabe.
Trabalhei 3 anos nas Iniciativas Novas Oportunidades (INO). Vamos lá então ver quem mente, quem fala e quem sabe.
Uma das críticas é que os adultos não aprendem disciplinas formais.
Desminto. Há regras a cumprir que têm a ver com o cumprimento dos procedimentos necessários.
Desminto o desmentido. Os referenciais de competências estão organizados em torno de 3 áreas que abarcam as várias disciplinas de uma forma muito vaga. A título de exemplo História, no secundário,  pertence a Sociedade, Tecnologia e Ciência, a única área onde os formadores de História estão impedidos de trabalhar (como as competências  exigidas estão ao nível do 9º ano, compreende-se).

Há quem receba subsídios para estar na INO?
Só os adultos que frequentam cursos de educação formação profissionais.

Mentira. Tantos os EFAS como os processos de RVCC incluem subsídio de transporte e alimentação.

Não são os desempregados?
O problema é que para frequentar esses cursos, implica estar desempregado.

Mentira. Para frequentar um EFA e ser subsidiado basta ter mais de 18 anos. Há EFAS intensivos em horário laboral e para desempregados, com outros subsídios. Mas o transporte e alimentação são comuns a todos. [Read more…]

O Pesadelo de Fim-de-semana

Eu gostava de ser mosca para ouvir o Prof. Cavaco Silva a falar com a sua Maria este fim-de-semana. O Primeiro-ministro ameaça com eleições antecipadas e o Presidente do PSD, Pedro Passos Coelho acaba de afirmar nas televisões que e passo a citar: “Nunca mais falo com o Sr. Primeiro-ministro sem a presença de testemunhas”.

O Primeiro-ministro estica a corda acenando com antecipadas sabendo que isso enerva o Presidente da República que nem quer ouvir falar em semelhante – seria o verdadeiro eclipse das eleições presidenciais – e Pedro Passos Coelho bate com a porta farto das aldrabices de Sócrates. Afinal a corda esticou em demasia e partiu.

Só falta saber, ironia do destino, se será Portas a salvar o Governo e por tabela Cavaco Silva. Já viram o cenário? Portas a salvar Cavaco? Nos melhores dias do Independente nem Zandinga se atreveria a prever semelhante!!!

Educação – rir para não chorar II

A Senhora Ministra quer mais sucesso – como todos queremos, nada a dizer.
Claro que o meu sucesso é diferente do sucesso da Senhora Ministra, mas isso são detalhes.
Mas… delicioso é o momento de um tal Adalmiro Botelho da Fonseca, Presidente de uma Associação Nacional de Directores de Agrupamentos e Escolas Públicas (ANDAEP):

“Se as escolas são responsáveis por atingir os resultados têm de ter os activos materiais e humanos à sua responsabilidade. Temos de começar logo pelos professores. Temos de ter mais influência na contratação de professores”

E, caros leitores, o que se tem passado nas escolas TEIP é um exemplo fantástico… de como isto é mentira!
Tem valido tudo menos tirar olhos!

“Logo a seguir chegou a vez
De alguns padres, mas como
Nunca fui religioso, também não liguei.

Agora levaram-me a mim
E quando percebi,
Já era tarde.” (citação de Brecht)

criança, totem e tabu

os romanos alfabetizam ao povo...com fantasias...todo fica igual...

O caso da Irmã Lúcia de Portugal

Oh leitor! Não desmaie se ler mais uma vez esta minha teimosa ideia sobre o processo de aprendizagem das crianças. É tão importante para um povo, é tão interessante para nós, na cauda da Europa esse saber que define o dos mais novos. Curiosas investigadoras da vida, para construir o seu aparelho conceptual ou uma epistemologia para entender o processo de vida. A História, a Economia, a acumulação de Lucro, o Trabalho, o extorquir da Mais-valia. Esteja o adulto, consciente ou não do facto, é ele o mentor da criança. Atrevo-me a afirmar, pela pesquisa feita in situ, que o mais novo aprende na base de factos e lendas tecidas sobre pessoas que afirmaram ter vivido uma experiência invulgar: ter visto e falado com a divindade e a hierarquia social que esta origina. Conceito não entendido mas temido pela pequenada. Facto lembrado de forma agonística, cultivados até a exasperação e pregado «ad infinitum» por uma hierarquia religiosa, semelhante à civil, opulenta, ostentosa, omnipotente, vestida com abas e togas. Hierarquia de andar lento e majestosa e de palavra sabida, uma autoridade que aparenta ser impossível de desmentir e permitir a crença do saber proletário. Hierarquia ou Seres considerados autoridades por estarem vários degraus acima de nós na gestão da vida social, da solidária interacção, na distribuição do trabalho, na posse dos bens que criam riqueza e no ditar da lei e dos dogmas que nos governam. Poder

[Read more…]

E hoje também é dia de mentiras

Passam cinco anos sobre um dos maiores embustes da história do jornalismo nacional. Inventou-se um arrastão à brasileira, aterrorizou-se um país, vendeu-se a peçonha racista do costume. Desmontado peça a peça neste documentário, não tem sexo, mas tem mentiras e vídeo.
http://www.dailymotion.com/swf/video/xe4px?width=560&theme=eggplant&foreground=%23CFCFCF&highlight=%23834596&background=%23000000&start=&additionalInfos=0&autoPlay=0&hideInfos=0&colors=background%3A000000%3Bforeground%3ACFCFCF%3Bspecial%3A834596%3B
Diana Andringa: Era uma vez um arrastão

Sócrates devia ser chamado à Justiça!

Mentiu mil vezes aos portugueses e às instituições financeiras internacionais, mil vezes negou o que era uma evidência, arrastou as obras públicas até que os mercados financeiros internacionais lhe negaram o dinheiro necessário! Dinheiro que a semana passada chegou a custar 9% para o nosso país, tal é o crédito, a confiança e a credibilidade de que gozamos!

Colocou o país na pior situação de sempre, a saída é a do costume, mais impostos e cortar nas despesa social, o que está em jogo são 2 Mil Milhões de euros qualquer coisa como dois meses em doze de despesa!

A partir de Maio vamos começar a trabalhar para nós e para a família, até agora estivemos a trabalhar para os gestores mais caros do Mundo, para os políticos mais incompetentes, para a Justiça mais ordinária, para as empresas mais “sugadoras”…

O que é preciso para chamar à responsabilidade um homem público? Sabemos das obras entregues sem concurso aos amigos, os Contentores de Alcântara cujo contrato é um assalto à mão armada, a adjudicação de autoestradas à socapa, o TGV de Caia ao Poceirão que não serve para nada, os negócios BCP, BPP,BNP, PT/TVI nunca explicados, a OPA anulada da Sonae à PT, sucatas…

O que estará escondido e que virá à luz do dia quando, enfim, se for sentar num qualquer lugar de Administração numa destas empresas monopolistas, com o seu diploma de engenheiro tirado ao Domingo?

O Segundo Caderno de Pensamentos do Sr. Anacleto da Cruz

Aqui há uns anos publiquei no defunto O Afinador de Sinos o Caderno de Pensamentos do Sr. Anacleto da Cruz.

A partir de hoje começo a publicar, aqui no Aventar, o Segundo Caderno de Pensamentos do Sr. Anacleto da Cruz. Às vezes óbvios, ou mesmo demasiado óbvios, volta e meia surpreendentes, de quando em quando disparatados ou mergulhados em nonsense, são como o seu criador. Se gostarem, fico com os louros, muito obrigado. Caso contrário, a culpa é do Sr. Anacleto, pois claro.

I

Entre verdades muito grandes, escolhe sempre

a mentira mais pequena.


II

Contenta-te com pouco. Ou com nada.

Contenta-te, contudo.


Sexo, Mentiras e Dinheiro

PORTUGAL, O PAÍS DA MENTIRA

 

 

A mentira, nos Portugueses, tornou-se num modo de vida. Completamente perdidos e sem destino, os habitantes do nosso País, não têm códigos de conduta, não reconhecem os ensinamentos da moral e não têm bons exemplos para seguir. Salvam-se algumas, muito raras, excepções, esquecidas e escondidas do grande público, e totalmente afastadas do conhecimento das gerações mais novas.

A mentira grassa no governo, nos partidos políticos, nas escolas, nas administrações das empresas públicas, nos números do déficit, na propaganda, nas televisões, nas relações entre as pessoas, nas negociatas, na publicidade e no marketing, e em quase todas as vertentes da vida de todos os dias.

Gente sem escrúpulos manda em nós, e sob a capa de uma sociedade progressista, em que todos podem falar e fazer o que bem entenderem uma vez que são livres, e a que pomposamente chamam de democracia, massacram-nos e aos nossos filhos, com mentiras em cima de mentiras, desgraçando o nosso futuro e o das próximas gerações. Cada vez mais se é menos livre de fazer o que se quer e de ir para onde se quiser. Estamos cada vez mais controlados, vigiados e condicionados. Câmaras de filmar, chips e propaganda contínua, rodeiam-nos a todo o momento.

Vive-se para o dinheiro, e associado a ele, para o sexo. Para que  tal assim possa ser, as mentiras vêm em catadupas, e de tanto se propagandearem, transformam-se em verdades incontestadas.

As principais prioridades deste nosso novo governo, passam pelos investimentos públicos que irão afectar economicamente várias gerações, pelo casamento dos homossexuais, pelas aulas sobre sexualidade dadas a crianças por gente sem preparação, e pela conquista dos vários poderes, a qualquer custo, a qualquer preço, e de qualquer maneira.

Quem não é por nós, é contra nós, e com esta máxima, os nossos governantes tranformaram em poucas décadas, a vida Portuguesa numa mentira.

Toda a gente passou, nos últimos anos, a tolerar a falsidade e o embuste, a considerar o sexo como parte integrante e imprescindivel das relações e dos negócios, e a aceitar pagamentos por favores indevidos, de uma forma tal, que tudo começou a ser considerado normal.

A corrupção, o conluio, a associação com fins criminosos, os favores económicos e sexuais, a mentira descarada, a obtenção dos fins a que qualquer um se propõe por qualquer meio, são o pão nosso de cada dia, e o que os Portugueses de todas as idades aprendem. E de tal forma o interiorizaram já, que se entende como regra habitual o proceder-se dessa forma. E, para além disso, também se entende, que quem assim o não fizer, é tonto, estúpido, e não sabe fazer valer os seus direitos.

Assim, desta forma, caminhamos alegremente para um beco sem saída. Ninguém confia ou virá a confiar em nós, e nós não confiamos uns nos outros. Anda um País inteiro a enganar todo um País.

Passamos a ser um Portugal de impostores, de malandros, de corruptos e de mentirosos.