OCDE esqueceu-se do ‘momento do investimento’, diz Gaspar

OCDE(2)

Vítor Gaspar teve hoje um dia negativo. Ingrato, diria. Com coragem, e referindo-se ao ‘programa de ajustamento’ de que é o gestor governamental, confessou:

Certamente sou responsável por vários erros.

Registe-se a humildade. Todavia, exige-se-lhe mais detalhes quanto à natureza e impactos quantitativos e qualitativos, nas condições de vida dos portugueses, do maior erro cometido: a defesa intransigente das políticas austeridade, agravando o programa do ‘memorando de entendimento’ da troika – lembro a retirada dos subsídios de férias e de Natal, bem como a antecipação do IVA de 23% aplicado à energia eléctrica e gás em Setembro de 2011, quando o memorando estabelecia Janeiro de 2012.

Queixou-se do PS quanto ao memorando, mas tem reduzida moral para se lamentar. Assumiu a direcção do programa com entusiasmo e empenho, fazendo sentir aos portugueses, e de que maneira!, a deterioração da vida do dia-a-dia. Desemprego, pobreza, miséria, insensibilidade social, entre outros, são pecados a expiar arduamente. Mas, permanecerá incólume e até progredirá na carreira, a nível internacional. [Read more…]

É o penta

Depois da taça, da liga e do campeonato, SLB ganha Vítor Gaspar, o homem que corta todas as jogadas. E o Passos Coelho também, já se sabia.

Jesualdo Ferreira

Após a saída do Porto, em 2009, regressa a um «grande».

Quando o Plutossocialismo Estrebucha

Camarada, estás cansado da Austeridade? Podes voltar à balbúrdia e à roda livre dos cheques amistosos dos Governos Socialistas, onde crescimento e emprego, emprego e crescimento nasciam como cogumelos ao estalar de um dedo. Basta nacionalizares o teu voto e sugerires às Esquerdas o que às Esquerdas incumbirá, assim que a Suprema Maçã Podre do Regime, sempre a maquinar conspirações, acabe de as federar para derrubar este Governo e talvez o próximo e o próximo, se, à vez, cada um dos próximos governos não agradarem ao Exmo. Plutossocialista Maçónico, papa de todos os Plutodemocratas.

Só gostava de perceber como é possível que amanhã Mário Soares, basicamente a Maçã Podre Suprema do Regime, consiga reunir na mesma sessão, na Aula Magna, as direcções do PS, PCP e Bloco de Esquerda e estas aceitem deixar-se federar-conspurcar numa espécie Peitaça Comum que funcionará como Espantalho das intenções e simpatias da Opinião Pública e como Repelente Fatal do voto útil ulterior numa alternativa a Bruxelas, a Berlim e às políticas que o BCE prescreve para o nosso carcinoma regimental corrupto e decadente, sob o obediente Governo de Salvação pós-PEC a que Passos-Gaspar presidem. [Read more…]

As Redes Sociais e as campanhas eleitorais #2

redes_sociais

 

Toda esta discussão começou com um artigo de opinião de Hugo Gomes no Jornal de Negócios e passou para a Briefing num artigo meu.

No essencial estou de acordo com Hugo Gomes. Aquilo que nos separa, em termos de opinião, são meros pormenores quase insignificantes. Para mim, mais importante do que saber se a presença nas redes sociais significa um potencial de crescimento eleitoral, é considerar que uma não presença ou uma presença amadora pode ser um risco de consequências nefastas para o candidato.

Mais importante é saber se um post num blogue, um tweet, um vídeo ou uma fotografia podem ser trágicas para uma candidatura. Sobretudo quando, segundo os números mais recentes, cerca de 5 milhões de portugueses estão ligados à internet e destes muito mais de 70% usam diariamente as redes sociais. Ou seja, estamos perante um número substancial de potenciais eleitores que circulam pelas redes. Num estudo académico que estou a realizar peguei num exemplo prático: as eleições directas no PSD em 2010 e a importância do digital na vitória de Pedro Passos Coelho. Sem me alongar muito (até por não me ser permitido tal) posso sempre afirmar que a estratégia digital integrada foi importante. E importante não significa decisiva. Ou….

[Read more…]

O manguito de Jeremy Irons

O Verão de 1816

Diz o IPMA que

 4 sistemas de previsão acoplados: três europeus – ECMWF, Met Office, Météo-France – e um norte americano – NCEP [prevêem] para o trimestre junho, julho e agosto, (…) um cenário para Portugal Continental em que a probabilidade da temperatura média ser inferior ao normal é de 40 a 60%, com uma anomalia negativa entre -0.5 e -0.2 °C.

Brrr, que gelo. Mas como já estamos na estação idiota da comunicação social, e há sempre um a colaborar na nobre causa do capitalismo não fazer mal a ninguém, a poluição nunca ter existido e o planeta ser tão descartável que o posso ir tramar onde me der mais lucro, já estou cheio de frio.

boneco-neve-praia

Um cacilheiro em Veneza

Hoje, lembrei-me do Carlos do Carmo e do Ary dos Santos.

cacilheiro

O aquecimento global volta a fazer das suas…

Ou talvez não, mas certamente os teóricos dos mitos climáticos cientificamente por comprovar, irão argumentar com as alterações, blá, blá, blá… No entanto, ao que parece em 1816 o Verão não terá sido nada quente e nessa altura, ainda não existiam várias das causas apontadas pelos crentes especialistas na matéria. Nem os EUA eram na época uma superpotência. Registo que desde o fim do mandato de W. Bush, com Obama na Casa Branca, estas matérias passaram a ter uma menor projeção internacional…

Menos 45 milhões nos transportes em 2012

De quem é a culpa da quebra anunciada pelo INE? Dos passageiros, claro. Sabotadores das previsões das receitas do IVA do Gaspar. Malandragem!

Somos bestiais

Vejo as notícias. Milhares de franceses (porque é que estes tipos parecem sempre ter qualquer coisa de Vichy?…), furiosos, largaram as baguettes e desatinaram pelas ruas de Paris, contra o casamento de pessoas do mesmo sexo e tudo o que envolve esta questão. Com a habitual coragem, incendiaram carros, partiram montras, destruíram, vandalizaram, bateram uns nos outros.

Agora vejam a nossa classe, a nossa finesse: quando discutimos o problema (que cada vez o é menos, valha a verdade) a coisa mais violenta e destrutiva que se nos apresenta (“que mor coisa parece que tormenta!”) é a fúria argumentativa do Marinho Pinto. Tomem lá disto, franciús selvagens!

Greve dos Professores: modo de usar

Tem dúvidas? É descarregar o documento de perguntas e respostas elaborado pelos sindicatos:

Greves Junho 2013_FAQ (pdf)

O Centro Infantil de Valbom, a Cruz Vermelha e os bibes de 16 euros

DSCF2532
Há coisas que me irritam profundamente. Uma delas é o aproveitamento dos particulares por parte de uma instituição supostamente séria e de solidariedade.
O CIV, infantário das meninas, agora gerido pela Cruz Vermelha Portuguesa, exige, para o próximo ano lectivo, que todas as crianças usem bibe e boné. Tudo a ser comprado no próprio infantário, evidentemente!
Até agora, as crianças usavam batas iguais, adquiridas directamente pelos pais na Feira de Gondomar, à Da. Rosa das batas, ou noutro sítio qualquer. Cada bata custava entre 7,50 e 10 euros, dependendo do modelo e do local de compra. Não me consta que a Da. Rosa e as outras lojas tenham prejuízo.
A Cruz Vermelha vende os bibes a 16 euros cada. Considerando que convém que cada criança tenha no mínimo duas batas e considerando que eu e bastantes outros pais temos lá duas filhas, estou, como dizia o outro: é só fazer as contas. Sinto-me roubada por uma instituição que também me devia proteger.
Depois de consulta do Regulamento Interno, que não referia o uso obrigatório de batas padronizadas, decidimos que não compraríamos. O que foi que a Cruz Vermelha fez? Alterou o Regulamento Interno e agora é obrigatório o uso dos bibes que lá vendem!
Só tenho um comentário, que por acaso é um insulto, a fazer… E, já agora, onde anda a Associação de Pais?

Vossa Inefável Vampireza

Mário Soares está lúcido? Como uma porta. Ubíquo como o ar que respiramos, omnipresente como o metano que largamos, o viscoso Mário Soares faz primeira página de jornais dia sim, dia sim. Conspira desesperadamente pela queda do Governo. Ninguém o escuta sem sentir que escuta o estertor de um passado que nos deu azar. Ouvi-lo, lê-lo é ler e ouvir a desesperada mumificação conveniente de um estado de coisas insustentável. Agora quer federar as esquerdas antes que a lógica anti-corrupção subjacente às reformas estruturais na Europa o fodere a ele e ao Regime que, desde o princípio, sempre lhe correu de feição ao bolso e ao instinto manipulador. [Read more…]

O medo é que manda na vinha

Paulo Portas tem sido chantageado pelo governo por causa do processo dos submarinos e dos carros de combate Pandur. Quando, pela primeira vez, Portas admitiu que estava a ponderar se ficava ou não, o caso dos submarinos voltou à primeira linha. E isso obriga-o a continuar no governo. O medo é que manda na vinha…

Mário Soares chamando os bois pelo nome, numa entrevista exemplar onde defende a unidade da esquerda (eu diria dos democratas) por aquilo que é  o seu programa mínimo comum: derrotar a austeridade, derrotar aqueles que tentam mudar ilegitimamente o regime, mas sem votos para alterar a constituição.

Era bom que de uma vez por todas se entenda isto: Marcelo Caetano ao pé de Passos Coelho e Vítor Gaspar parecia um democrata. É disto que falamos.

George Grosz: The Wanderer

George Grosz: The Wanderer

Penso de que algo está errado

leo jardim

E prontos, aqui está a foto. Ainda não acredito de que li isto. E agora surge-me a dúvida: terá sido Leonardo Jardim em que terá dito isto ou será sob o jornalista o qual devem recair as críticas? Seja em como for, a nossa Comunicação Social já passou sobre melhores dias.

Tiro no porta-aviões

capa i m soares

Ofereço Paredes

As de minha casa. A quem as quiser graffitar com arte. Será um prazer ter um acervo de obras de arte urbana na minha própria casa. E aqui o Rui Rio não risca. Ou melhor, não desarrisca!

Por mim podes ir andando

«Ou passo a ser titular ou quero ir para outro lado» (Defour)

Túmulo

S.Clara-a-Velha, Coimbra, túmulo
Túmulo, Santa Clara-a-Velha, Coimbra. Fotografia jjc

Prémio Camões para Mia Couto

FLIP 2007

Pela segunda vez o júri acertou; Mia Couto, tal como Luandino Vieira, além da escrita recomeçaram a língua de outro continente para fora. Valem muito mais que papel pintado com tinta.

Falta o Mário de Carvalho, e os três escritores vivos que leio estariam premiados.  Pela rotatividade continental, espero que seja para o ano.

Adenda: sim, é o meu gosto pessoal, sem desprimor para com outros. A literatura gosta-se, come-se, mastiga-se, devora-se. Quem tem outro palato, problema seu.

Vozes de sábio não chegam ao Inferno

No sábado passado, fui ao Colégio Paulo VI, em Gondomar, assistir a uma palestra de Maria do Carmo Vieira. De todas as vezes que a ouço, reencontro o desassombro e a frontalidade necessárias na crítica a muito do que está errado na Educação, em geral, e no ensino do Português, em particular. Reencontro, ainda, nas palavras da minha colega a energia renovada para tentar ser melhor, para não me deixar acomodar.

Eis algumas das ideias que reencontrei, enquanto ouvia Maria do Carmo Vieira:

– as opiniões e os pareceres dos professores são fundamentais para a maior parte das decisões sobre Educação. Os sucessivos ministros, no entanto, limitam-se a olhar para os professores como funcionários que se devem limitar a obedecer;

– os professores não podem permitir a proletarização de que são alvo e devem exercer um exame crítico sobre todos os aspectos da sua actividade profissional;

– o empobrecimento da formação inicial e contínua dos professores é absolutamente criminoso e terá efeitos nefastos no futuro (a propósito disso, fomos brindados com uma extraordinária declamação de “Aniversário”, ao som de Prokofiev);

– a base da actividade docente reside no conhecimento científico e não nas questões pedagógicas, sendo que estas devem estar ao serviço das primeiras e não podem ocupar o papel principal na função docente; [Read more…]

Regionalistas de bancada

Não gostam do Jamor!

O discurso ambíguo de Dijsselbloem

O presidente do Eurogrupo, Dijsselbloem, simultaneamente ministro das finanças da Holanda, esteve em Lisboa. Cumpriu o cerimonial da visita a Cavaco Silva e esteve em reunião com Vítor Gaspar.

Na comunicação à imprensa, não assegurou – nem poderia fazê-lo isoladamente, creio – que Portugal venha a beneficiar de nova flexibilização de metas (deficit orçamental mais alto) para 2014. Ficou-se por afirmações de certo modo dúbias:

[…] caso Portugal atinja os objectivos definidos para o défice estrutural, “se for necessário dar mais tempo a Portugal, então esse tema [a flexibilização adicional do objectivo para o défice nominal em 2014] será debatido”.

Ou seja, em vez da dilatação dos limites da meta para 2014 por que o governo – Gaspar e Coelho em especial – luta pela aprovação do Eurogrupo, prometeu o debate do tema…”caso Portugal atinja os objectivos definidos para o défice estrutural”.

O presidente do Eurogrupo, através do condicionalismo proposto para o défice estrutural, introduz uma complexidade na avaliação dos resultados das finanças públicas, uma vez que o SOAC (saldo orçamental ajustado ao ciclo ou saldo estrutural), embora utilizado pela OCDE e FMI, corresponde ao saldo que se registaria caso a economia estivesse em plena capacidade; ou seja, equivale ao uso do PIB potencial. [Read more…]

AO90?! Não, obrigado!

Lembram-se dele?

Os mitos de Mexia

Se os preços da electricidade estão abaixo da média europeia, o que dizer dos rendimentos dos portugueses?!

Saia um afagador de egos

Ibrahimovic sabe o que quer: muita doçura! E Jorge “Jejum”?

Desabafo ao desabafo de Ruy de Carvalho

Ruy de Carvalho tem 86 anos e 70 de carreira, é um actor que aprendi a admirar, fosse na televisão ou no teatro. A idade é, de facto um posto. Eu acho que aos 86 anos, uma pessoa deve poder dizer o que lhe vai na cabeça, mesmo sendo alguém de quem se espera tudo e mais alguma coisa. Mesmo havendo o risco de desiludir admiradores, amigos. Caramba, 86 anos têm de servir para alguma coisa.

O desabafo do Ruy de Carvalho merece, no entanto, alguns desabafos, também da minha parte. As críticas que faz ao Estado – algumas certas e outras nem por isso – vêm, sobretudo, pelo facto da alteração da denominação da sua arte e do roubo que está a ser feito em sede de IRS. Tem toda a razão, Ruy, mas vamos aos factos. Sim, que tantos anos e tanta vida também hão-de comportar momentos menos felizes: [Read more…]

E em Paris estão muitos jovens à procura de soluções para o desemprego

Santos Pereira em Paris à procura de soluções para o desemprego jovem

Roma não paga a traidores

Rui de Carvalho leva a resposta que merece.