Paulo Nunes de Almeida, Presidente da AEP, é o verdadeiro artista

Sem Título

Leitor devidamente identificado

Hoje vou falar-vos do meu Patrão. Sim, porque este senhor de quem vou falar-vos continua a ser o meu patrão, visto que eu e mais cerca de 60 colegas continuamos suspensos da Empresa TRL Texteis há quase 2 anos. Este senhor de quem vou falar-vos é apenas o Presidente da AEP, o Exmº. Dr. Paulo Nunes de Almeida.
Ocupando o cargo que ocupa, este senhor deveria ser o exemplo número 1 para qualquer patrão, certo?
Errado! Este senhor não é exemplo para qualquer patrão, pelo contrário, é o pior exemplo de ser humano que possa existir. Passo a explicar.
Em meados de Maio, há dois anos, este senhor comunicou aos funcionários, no final de uma sexta-feira de trabalho intensivo (visto que os funcionários estiveram a dar no duro para terminar uma encomenda para o estrangeiro), que a partir da segunda-feira seguinte deviam suspender os seus contratos de trabalho, porque não tinha forma de pagar mais salários. Claro que ele sabia que se podia fazer isso porque já tínhamos quase 2 meses de salários em atraso. Isto foi bastante violento para todos nós, principalmente para as pessoas que durante quase toda a sua vida trabalharam nesta empresa.
Mas isto não foi o pior. [Read more…]

O lobo e as lombrigas

“Premiei um escroque da pior espécie” – diz João Duque, referindo-se ao mesmíssimo Ricardo Salgado que, há não muito tempo, quase canonizou no discurso de elogio que lhe fez aquando do doutoramento “honoris causa” promovido pelo ISEG. Brioso, o ex-admirador e deputado Carlos Abreu Amorim, com aquela coragem dos cachorros pequenos entre as pernas do (novo) dono, citou esta frase, atirando-a à cara do visado em plena Comissão Parlamentar. Ricardo Salgado é, já poucos duvidam, o lobo mau desta história. E os lobos maus metem medo (designadamente aos coelhos), mesmo quando acossados. Mas depois há estas lombrigas, ténias, carraças, pulgas e outros parasitas do sistema, servidores de quem manda na hora e sempre prontos a mudar de hospedeiro. Estes, metem nojo

Lista VIP minuto-a-minuto

Passos Coelho, Núncio e a burka fiscal FEMAIL

Depois de ter afirmado no Parlamento que não tencionava fazer striptease fiscal Passos Coelho certificou-se que o seu cadastro fiscal se apresentaria doravante apenas de burka. [Read more…]

Admissão de culpa

6.egas[1]

 Foto (http://cativarparaaprender.blogspot.pt/2012/05/uma-questao-de-honra.html)

Tenho consciência, não estou esquecido, conheço a Lei, fui notificado várias vezes. Infelizmente, devido à política seguida pelo Governo nos últimos 4 anos, não tenho é dinheiro!

Versão integral publicada originalmente em: http://wp.me/p29WGc-AU

atenção à navegação

Consta-se nos meandros da alta finança que quem está a analisar o ponto de situação no bpi é José Eduardo dos Santos. Que a filha apenas serve, à boa maneira angolana de testa de ferro dos interesses do pai, já todos sabíamos. Que a filha não fala com ninguém, nem sequer à imprensa porque é atestadamente ignorante, também já todos sabíamos.
A solução da fusão entre bpi e bcp (sonangol) poderá ter saído da corte de Luanda. Conta como maiores aliados a família violas, os maiores accionistas portugueses do banco gerido por fernando ulrich. A hfv, holding dos violas já fez anunciar que pretende reforçar ainda mais a sua participação no banco a curto prazo. Para, segundo a especulação, vender aos angolanos e, de forma aliada à possível operação de charme destes para demover pequenos accionistas do banco a aceitar a proposta em curso dos catalães do caixa bank (ao caixa bank interessa desblindar não só a questão estatutária de voto para definitivamente mandar no banco, assegurando a gestão  independente do banco; a ideia dos catalães é avançar para a compra do novo banco, sob a forma de la caixa Portugal, criando uma marca do zero com base na reputação e confiança transmitida pelo banco espanhol) e, das duas uma, ou fundir efectivamente os dois bancos, ou bluffar para obrigar os catalães à rectificação dos valores apresentados pela opa para os valores pretendidos por grande parte dos accionistas (2,56 euros ao invés dos 1,32 euros oferecidos). É precisamente esse o preço por acção que é expresso como o ponto de convergência pedido pela hfv para vender a sua participação.
A cmvm deverá ficar atenta a este tipo de actos especulativos que, por vezes não representam nem demonstram a saúde financeira das entidades financeiras. Para que não hajam mais surpresas no futuro iguais aquelas que foram vendidas no novo banco antes da sua declaração de bancarrota.

pontas soltas no caso PT

Zeinal Bava afirma que a tesouraria da PT SGPS só passou para a PT Portugal a 5 de Maio de 2014. Granadeiro recua para 10 de abril. Bava já estava na OI desde junho de 2013, mas à passagem da transferência da tesouraria de uma para a outra e a consequente aplicação de 897 milhões da rio forte já haviam conversações entre partes para o processo de fusão, processo no qual o bes, nomeado por bava, granadeiro e Luis Pacheco de melo (administrador financeiro da pt) era ‘o accionista mais proactivo’ (bava), ‘interlocutor de referência’ (bava, melo, granadeiro’, ‘decisor estratégico do rumo da empresa (melo) e ‘ativo no acompanhamento da gestão da pt’ (granadeiro) deveria informar aos brasileiros da oi, em particular ao seu maior accionista Sergio Andrade Gutierrez (Andrade gutierrez), [Read more…]

Informação da maior importância: a quem interessar

Conheço-alguns-perfeitos-idiotas

Com muita humildade venho por este meio dar conhecimento a todos os meus credores – pretéritos, presentes e futuros -, independentemente da sua natureza – privada ou pública -, ou da natureza do crédito – venal, afectivo, lúdico ou outros -, ser muito possível, e até mesmo provável, que não venha a honrar as minhas obrigações ou a fazê-lo fora do prazo e apenas parcialmente, sempre com grande humildade, enfatizo, inerente a tal incumprimento ou procrastinação, com fundamento em qualquer das razões a seguir elencadas, isolada ou cumulativamente:

1 – Desconhecer a obrigação;

2 – Esquecer-me da dívida;

3 – Escassez de recursos, financeiros ou emocionais;

4 – Receio de que o cumprimento atempado possa ser interpretado como uma forma de induzir na comunidade a ideia de que sou cumpridor.

Versão integral do post, publicado originalmente em http://wp.me/p29WGc-AD

Economista britânico diz que Europa está na iminência de um ‘IV Reich’ | iOnline

2012-08-03-il-giornale

 

Lusa . 4 Mar 2015 – 15:22

O economista britânico Stuart Holland disse hoje em Lisboa que a Europa está “na iminência de um IV Reich”, referindo-se à situação na Grécia e à “hegemonia de Berlim” na União Europeia. 

“Temos uma hegemonia alemã que (os antigos chanceleres) Willy Brandt e Helmut Kohl não queriam. Eles não queriam uma Europa alemã, mas Angela Merkel que não tem as referências da Europa Ocidental não aceita conceitos como a solidariedade”, disse à Lusa o economista britânico, à margem da conferência “Grécia e Agora?”, que decorre na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa.

Texto integral em http://wp.me/p29WGc-Ak

Portugal não é a Grécia

Image6886

Depois dos casos BPN, BPP, BCP, BANIF, BES, Sobreiros, Miguel Relvas, Submarinos, Vistos Gold e do seu próprio caso pessoal – contributivo e Tecnoforma -, entre muitos outros, percebe-se agora que ao insistir na ideia de que “Portugal não é a Grécia!”, Passos Coelho estava afinal a defender o bom nome e a honorabilidade do povo grego (que não as das elites dirigentes da Grécia que são iguais às nossas).

Publicado originalmente em: http://wp.me/p29WGc-Ah

O BES foi governado por um bando de granadeiros

henrique-granadeiroFicámos ontem a saber que o BES pertencia a um bando de granadeiros. Henrique Granadeiro também demonstrou na Assembleia da República que em Portugal se pode ser gestor de topo e ignorar os mínimos de História de Portugal, transformando Egas Moniz em primo de Afonso Henriques, o que dava chumbo na antiga 4ª classe, a que ele fez, ou seja, a PT esteve entregue a um analfabeto.

Já desconfiava.

Portugal miserável

Acabado de sair, o índice Bloomberg coloca-nos no 10º lugar da lista das economias mais miseráveis do mundo. Os resultados têm em conta a taxa de desemprego e o valor da inflação.

Factor BES

O BES foi ao Factor X

E foi muito bom:
[Read more…]

É o capitalismo, estúpido

continenteJá tivemos algumas experiências semelhantes no Aventar:  um artigo que denuncia uma situação serve de rastilho para outras denúncias que explodem na caixa de comentários. No L’obéissance est morte desabou um verdadeiro continente sobre as práticas laborais da família Azevedo, gente que passa por honesta e honrada (e não foi bem assim que o pai Belmiro se lançou nos negócios).

Da compilação que fizeram, seleccionei alguns exemplos do capitalismo neoliberal em todo o seu esplendor. Também podia chamar a isto cambada de filhosdaputa, ou parafraseando Boris Vian, havemos de vos cagar em cima, a empresa até é do norte, mas fiquemos pelo capitalismo. Este é mesmo selvagem, ainda é ilegal, mas fica impune. Testemunhos do Homem Sonae, como lhes chamou em tempos Belmiro: [Read more…]

Passos Coelho, as dívidas, as prescrições, os pagamentos, as mentiras e as desculpas esfarrapadas

passoscoelhoEste exemplar da espécie humana nunca deixa de me surpreender, malgré tout!

Senão vejamos: Passos Coelho não pagou à Segurança Social as contribuições devidas durante um período em que recebeu com Recibos Verdes;

A primeira desculpa, idiota, é que entretanto pagou apesar de a dívida já estar prescrita. Ora isso não é possível. Nenhuma contabilidade suporta a entrada de uma “receita” sem título justificativo válido. Como tal, a Seg. Social já lhe devolveu, ou ainda vai devolver, o dinheiro.

(versão integral em: http://wp.me/p29WGc-Ad )

Tornado: fundamentos filosóficos

CB-tornado-1

http://wp.me/p29WGc-A8

O dia em que Zeinal Brava foi reduzido à sua insignificância

Confesso que, ao fim de tantos anos de prémios e assim, me dá um certo gozo, tipo: tás a ver, és um merdas, Zeinal Brava, reduzido a cobarde, culpado e tolinho quando agora é perguntado.

Ganda malha, Mariana Mortágua, agora só lhe falta a cadeia.

A Troika deveria ser investigada

Troika3

Depois da transmissão pública da reportagem “Puissante et incontrôlée: la troïka” pelo canal ARTE (ainda disponível no site da televisão franco-alemã) espero bem que a Procuradoria Geral da República se digne a investigar todos os elementos da Troika que estiveram em Portugal, em particular os responsáveis pela iniciativa da venda do BPN ao BIC. O que se passou foi um crime e esta reportagem dá-lhe o enquadramento que faltava para percebermos que foi de facto um crime.

Realizada pelo alemão Harald Schumann esta excelente reportagem  debruça-se sobre o falhanço e as consequências sociais das políticas de austeridade implementadas pela Troïka. A reportagem demonstra também que é falso que se trata apenas de semântica quando Tsipras recusa negociar com a Troika, mais do que isso demonstra que o governo de Tsipras está bem consciente dos estragos e das negociatas ilegítimas da exclusiva responsabilidade dos burocratas da Troika. A autonomia sem escrutínio, a falta de legitimidade democrática, as decisões criminosas impostas ao sistema de saúde grego, bem como as suspeitíssimas ordens de venda urgente de bancos falidos em Portugal (BPN ao BIC), na Grécia e em Chipre provam que a Troika não passa de uma negociata, que só não é uma negociata como qualquer outra porque é responsável por mortes no sistema de saúde grego e muito provavelmente por crimes de corrupção e tráfico de influências. Entre os entrevistados nesta reportagem, estão Krugman, Varoufakis, Louçã, Elisa Ferreira e João Semedo. A não perder.

Grécia, Europa, vamos ao que interessa…

Não entrei no circo mediático em torno da Grécia. Percebo o interesse, fui lendo aqui e ali diferentes argumentos técnicos e ideológicos, mas nunca tive grandes dúvidas que a Grécia iria continuar no Euro, pelo menos para já, desde logo por razões internas, apesar da vitória eleitoral do Syriza, a saída da moeda única não constava do programa de governo, muito provavelmente por saberem que a maioria dos eleitores gregos não querem ouvir falar no assunto. Por outro lado a U.E., por muita influência que a Alemanha possa ter, é mais que que a mera vontade de Berlim, não poderia expulsar um país, porque isso não está escrito em qualquer tratado e nem mesmo Angela Merkel queria ficar com o odioso para si. Todos cederam politicamente um pouco, permitindo agora continuar a discussão se Bruxelas obrigou o governo grego a recuar no seu programa  ou pelo contrário, Tsipras e Varoufakis abriram um precedente na U.E., posição esta muito oportuna para fins eleitorais em Portugal e Espanha. [Read more…]

Sobre U.E., Grécia e Portugal…

Uma das soluções apontadas para a resolução do problema das dívidas soberanas são os “eurobonds”. Alemanha, Finlândia ou Holanda nem querem ouvir falar no assunto, para citar apenas alguns países opositores à medida defendida pelo PS e alguns políticos, nomeadamente no Sul da Europa, principalmente na área da social-democracia. A questão não é fracturante apenas do ponto de vista ideológico, a meu ver mal, porque é apenas nesse patamar político e económico que deve ser discutida. [Read more…]

Os deputados não são todos iguais

Depois de Paulo Sá ter ensinado Maria Albuquerquea brincar com legos, mais uma jovem deputada, de esquerda, explica ao tipo das bjécas agora ministro, que viragem económica só no fundo da garrafa quando acaba de as beber (e aqui me confesso, no fundo das garrafas por vezes também encontro uma enorme euforia).

Mais uma confissão: perfeitamente sóbrio, vou vendo em Mariana Mortágua a garantia de que este país tem futuro, e a esquerda, devagarinho, vai encontrando quem nos tire deste buraco. Haja esperança, já faltou mais, fica o segundo vídeo, com uma excelente montagem, onde o rosto de Pires de Lima nos confirma que somos governados por idiotas: [Read more…]

As cinquenta sombras do desígnio nacional: explorar

Consta que um livreco virou filmezeco, têm sexo, não têm nem cinema nem literatura, ambos vendem bem. Não tencionando nem ler nem ouver as tais Cinquenta Sombras de Grey, nunca terei tempo para a arte que gostava de levar comigo quanto mais para o entretenimento, e se tem sadismo ainda me faltam uns livrinhos do Divino Marquês, há um detalhe nacional no episódio: parte do cenário tem proveniência nacional, honra e glória ao design nacional (chamam agora design às artes decorativas, haja paciência).

O problema é que pelo Adriano Campos chego a este vídeo, e por este vídeo se conclui que o empreendedorismo também nesta área, supostamente refinada, rima com esclavagismo.

A Menina Design quando crescer quer um chicote. E está certo, confere com o tema da película.

Pinheiros e eucaliptos

Fonte: https://www.flickr.com/photos/fernandocomet/6078852709/sizes/l

Rui Manuel Vitorino

A minha formação acadêmica nada tem a ver com agricultura ou recursos florestais. Quando um leigo olha a floresta existe uma imagem normalmente associada a pinheiros e eucaliptos e essa imagem pode de alguma forma adaptar-se a perfis atribuídos ás empresas e empresários por todo esse mundo fora.
Vejamos uma empresa média com uma produção de bens necessários ao funcionamento da sociedade, trazendo mais valia para todos os envolvidos garantindo bem estar aos que nela trabalham e aos que dela beneficiam. Não sendo uma árvore nobre como um carvalho, uma nogueira, o pinheiro é uma árvore que necessita de tempo para crescer para dar os seus frutos.
Eis que chega o eucalipto, crescimento rápido, seca tudo à volta, sonega recursos e em caso de incêndio queima tudo à volta num fósforo.  [Read more…]

Já que se discute saúde e lucro

-Prefiro uma cínica indústria que inova movida pelo lucro ao imobilismo socialista que representa a estagnação. Ou dito de outra forma, trabalhar para aquecer ou para desenvolver a sociedade, colocaria mais um cobertor na cama e desligava o despertador. Se me levanto cedo e trabalho duro não é para desenvolver a sociedade, para a qual me estou nas tintas. É para viver confortavelmente, pagar as minhas contas e adquirir o que pretendo, necessário ou supérfluo. Como posso criticar a industria farmacêutica? Isto não inviabiliza de forma alguma práticas de responsabilidade social.

Onde assino?

Por vezes perco a paciência para guerrilhas esquerda vs. direita. Para Portugal há muito que a perdi. Com o meu dinheiro escusam de contar e mesmo trabalhando e vivendo fora da choldra, faz este ano uma década que voei pela última vez na “Take Another Plane”.

Querem um referendo? Pois que o façam, eu assino para promover a sua realização. E depois viabilizem financeiramente a coisa, escusam é de pedir o meu esforço, pois além de indisponível para financiar o elefante branco, alternativas não me faltam. Os contribuintes accionistas da Portugal S.A. que decidam…

 

Correlações

penis-size-21

Um economista finlandês decidiu analisar a correlação entre o tamanho do órgão sexual masculino e o crescimento económico. Foi desta anedota do reino das correlações idiotas que me lembrei quando Carlos Guimarães Pinto garantiu, com gráficos e tudo, que o miserável aumento do salário mínimo já tinha provocado desemprego em Portugal, piadola  de que o João Mendes já aqui se ocupou.

O tema é velho: enviesando um estudo tudo  é possível e concluímos o que nos apetece. Se pensarmos um bocadinho percebemos como o anunciado regresso da Grécia a uma salário mínimo na casa dos 700 euros é uma medida de crescimento económico: primeiro porque empresas que não o podem pagar merecem a falência, quem não obtêm proventos suficientes para prover com um salário minimamente digno os seus trabalhadores que se dedique a outra coisa, que não o esclavagismo. E segundo porque esse aumento dos salários vai ser gasto, logo como é óbvio vai aumentar a procura o que, dizem as regras, estimula a oferta, etc. etc.

Ora, e no entretanto, dizem que o desemprego baixou em Portugal, ou seja, aumentaram a formação e os estágios com que os números são aldrabados, e o governo investe directamente na economia, pela pior forma, baixando os custos com o trabalho.

Aguardo portanto um gráfico do Carlos Guimarães Pinto demonstrando que o salário mínimo em Portugal já desceu novamente. O que, verdade se diga e permitindo a legislação patronal recorrer a vários truques para não o aplicar (basta contratar formalmente a meio tempo e na prática aplicar tempo inteiro à vítima), confere com a realidade.

Fernando Ulrich não aguenta?

O pesadelo de Ulrich: Tsipras a comemorar a vitória.

O pesadelo de Ulrich: Tsipras a comemorar a vitória.

Fernando Ulrich está preocupado com o resultado das eleições na Grécia. Fico satisfeito por, pela primeira vez na vida, ter as mesmas preocupações de um banqueiro, mesmo sabendo que me deixará sozinho a torcer pela vitória do Syrisa.

Um banco, à semelhança dos mercados, é uma entidade nervosa, sensível, amiga do seu amigo. O BPI confidenciou as suas preocupações aos clientes e enviou-lhes uma mensagem assustada, chamando a atenção para “o espectro da vitória de um partido anti-europeísta.”

Muito haveria a dizer sobre o que significa ser anti-europeísta, mas tendo em conta a proximidade ideológica de Ulrich com Luís Montenegro, julgo que defender a Europa e os europeus são coisas antagónicas, porque os segundos só servem para atrapalhar. Logo, quem estiver preocupado com os europeus será, necessariamente, anti-europeísta.

Vale a pena ler a carta que Catarina Martins escreveu ao banqueiro assustadiço. É claro que há por ali palavras que poderão fazer confusão ao pobre senhor, como, por exemplo, democracia e povo, mas, e citando o final da missiva, é importante ajudá-lo a perceber que “os mercados financeiros aguentam. Ai aguentam, aguentam.” Penso que, assim, ele conseguirá perceber.

Os impostos explicados às crianças

O deputado Paulo Sá desmonta, ou melhor, monta com legos mais uma mentira do governo. Exemplar, didáctico, muito melhor que um desenho.

Adenda: Entretanto, a menina Maria Luís choraminga:

[Read more…]

Zeinal Bava e a irrelevância

bava

© Mário Proença/Bloomberg (http://bloom.bg/14NfApG)

Apesar de continuar sem conhecer – e sem querer conhecer – a resposta à pergunta “Quem tramou Zeinal Bava?”, o meu interesse na tese da irrelevância mantém-se. Gostei de ler as notícias de ontem, acerca dos esclarecimentos que a Oi vai pedir a Zeinal Bava, pois estes podem ser extremamente importantes para dissipar algumas dúvidas que possa ainda haver nas cabeças daqueles que nos governam.

Por exemplo, quando é feita a transcrição de excertos de um texto escrito em português do Brasil, [Read more…]

Rapa, tira e não põe

Passos_coelho_e_paulo_portas_tiago_petinga_lusa_0

Corria por aí um boato orçamental segundo o qual os funcionários públicos recuperariam um bocadinho do que lhes tem sido roubado. Ora, segundo quem processa o meu vencimento, tal instrução não chegou ao serviço, e como tal este mês roubam-me o mesmo.

A confirmar-se, deve ser por essa via que o estado obtêm as tais receitas excedentes de que fala Paulo Portas, e que depois irão para os contribuintes que pagam a respectiva sobretaxa.

Eu sei que isto não faz muito sentido, mas com o Paulinho dos contribuintes e o Pedro dos saques nunca se sabe.

Memórias de um tempo não muito distante…

Recordo o tempo em  que o petróleo subia, se anunciavam cenários no horizonte em que o preço superaria os 200 dólares por barril, quiçá até nas versões mais apocalípticas poderia alcançar os 250 dólares. Existe uma diferença entre realidade e ficção. Mas os delirantes guionistas que então escreviam o futuro de Portugal, José Sócrates, Manuel Pinho & ca. plantaram uma série de turbinas eólicas nas paisagens do país, apostaram na energia do mar, solar e tudo o mais que se lembraram, porque indiferentes aos custos, para eles a contabilidade é sempre uma arte criativa. Era investimento público que iria modernizar Portugal e promover o crescimento económico. O tempo passou, o crescimento não veio, ficaram os encargos. A economia tem ciclos, não depende da vontade dos políticos como gostariam os socialistas. Convém ter presente este facto quando o petróleo voltar a subir, o que acontecerá a seu tempo… Como a política também tem ciclos, está para breve o regresso destes ficcionistas, o que é representa o lado mau da questão, o lado bom é que os actuais estão prestes a receber guia de marcha. Não se pode ter tudo…